Compartilhe este texto

Em áudio, Thiago Brennand admite estupro e diz que não iria mais bater em suposta vítima

Por Folha de São Paulo

06/12/2023 14h30 — em
Variedades



SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O empresário Thiago Brennand, 43, admitiu que estuprou uma mulher durante uma conversa que teve com a própria vítima. Em áudio obtido pelo UOL e confirmado pela reportagem, ele afirma que o ato sexual aconteceu "à força e com raiva" e diz que continuou mesmo depois dela pedir para parar -a conversa pelo telefone foi em 2021.

Em nota, o advogado do empresário, Roberto Podval, disse lamentar a divulgação do áudio. "[Um] Vazamento de provas de modo seletivo e descontextualizado, no claro objetivo de prejudicar a sua defesa e influenciar processos e medidas em curso."

A defesa afirma ainda que o trecho em questão "retira a conversa de contexto e omite fatos relevantes como as relações havidas após o referido diálogo, que confirmam que a relação foi consensual".

Além disso, Podval diz que as mensagens são antigas e foram analisadas pelo Ministério Público, que decidiu pelo arquivamento do caso, o que foi aceito pelo juiz de Porto Feliz, cidade do interior de São Paulo onde o suposto crime teria ocorrido. O advogado afirma também que a Justiça determinou a apuração da ocorrência do crime de denunciação caluniosa por parte da suposta vítima.

A investigação de fato foi arquivada em junho de 2022 por falta de provas. Mas ela foi reaberta em setembro deste ano, após uma reportagem do Fantástico, da TV Globo, mostrar um áudio do empresário com supostas ameaças à mulher.

A vítima é uma brasileira que reside nos Estados Unidos. Segundo os documentos do caso, ela diz que Brennand a manteve cárcere privado, a estuprou, a agrediu e fez uma tatuagem nela sem autorização. O diálogo entre eles aconteceu depois dela ter prestado queixa contra o empresário.

Durante a conversa por telefone, Brennand diz que sua atitude não poderia ser considerada estupro, apesar de ele afirmar que continuou o ato depois que ela pediu que ele parasse.

"Você está confundindo as bolas. Uma coisa é você estar com dor durante o sexo anal, outra coisa é uma pessoas estar fazendo sexo não consensual", afirmou na ligação. "Na hora de comer o cu, você...eu ameacei e disse 'se você não deixar, eu vou te quebrar?'. Pois, é, mas eu fiz à força com raiva, não fiz?", disse ele. "Você dizendo 'não, não', eu fiz à força e com raiva. Beleza, eu assumo", diz.

De acordo com o Código Penal, é considerado estupro constranger alguém mediante violência ou grave ameaça a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso. A lei determina que é considerado estupro mesmo quando o ato sexual teve início de forma consentida, mas a vítima pede para parar e é ameaçada ou forçada a continuar.

Antes de falar sobre o ato sexual, a mulher havia perguntado se o empresário prometia que nunca mais bateria nela. "Prometo. Dou minha palavra." Em seguida, ele afirma que a violência "aconteceu por causa de uma série de coisas".

Durante a conversa, que durou quase uma hora, os dois também falam sobre a possibilidade de reatar a relação. Brennand diz que poderia conhecer a família da mulher e esclarecer a situação.

"Se você disser para mim que é para eu andar na avenida, vestido de roupa de bombeiro, andando de ponta cabeça, eu vou", diz ele na conversa.

LEIA TRECHOS DA CONVERSA

**Psiquiatra**

Mulher: Você estaria disposto a ir num psiquiatra?

Brennand: Na hora. [...] Você pode falar o que for de mim, mas não pode falar que não sou um homem.

**Violência doméstica**

Mulher: Você promete nunca mais bater em mim?

Brennand: Prometo. Dou minha palavra. [...] Aconteceu o que aconteceu por causa de uma série de coisas. Um turbilhão de paixão. E aí? É preciso colocar os pingos no Is.

**Pela segunda vez, na mesma ligação, o ex-casal volta a falar da violência:**

Mulher: Você dá sua palavra que não vai mais bater em mim?

Brennand: De novo? [...] Eu dou minha palavra, dou por escrito.

Mulher: A única coisa que eu quero na vida é isso. Eu nunca mais vou te dar motivo para você bater em mim. Nunca. E quero que você nunca mais faça isso.

Brennand: Eu não vou fazer nem se você me der motivos. Por uma série de motivos, porque eu te amo, claro, mas me machucou muito. Eu tenho que me afastar quando isso acontecer. Uma série de coisas que eu percebi nisso aí. Eu agi dentro de um estado de doença, nós dois estávamos doentes e eu disse isso a você na porta do quarto.

**Estupro**

Brennand: Você acha que eu faria sexo não consensual com alguém?

Mulher: Acho que não, mas o que aconteceu naquele dia, eu pedi para parar várias vezes. Lembra disso, depois que você me bateu?

Brennand: Você está confundindo as bolas. Uma coisa é você estar com dor durante o sexo anal, outra coisa é uma pessoa estar fazendo sexo não consensual.

Presta atenção no que você diz porque é perigoso. Nós estávamos em um sexo carnal onde nós nos comemos por vontade própria, em que você já tinha gozado. Na hora de comer o cu, você...eu ameacei e disse 'se você não deixar, eu vou te quebrar?'. Pois, é, mas eu fiz a força com raiva, não fiz?

Mulher: Fez

Brennand: Você dizendo 'não, não', eu fiz à força e com raiva. Beleza, eu assumo. Fala as coisas como elas são porque me machuca. Eu sou um homem a assumir tudo o que eu faço, não sou de negar. Você é que começa a dar volta na mentira que não foi mentira, que é uma coisa que eu queria trabalhar no psiquiatra com você. Eu tenho uma coisa dentro de mim muito forte contra a mentira e você deveria cuidar disso.

**Tatuagem**

Mulher: Eu queria muito, um dia, fazer a tatuagem com o seu nome. Muito. Mas, eu indo até lá e fazendo uma surpresa para você. Eu não esperava jamais ter alguém me esperando de surpresa para fazer uma tatuagem.

Brennand: Olha o que você está falando, ninguém estava te esperando. Era o meu compromisso.

Mulher: Eu sei, mas quem acabou fazendo a tatuagem fui eu.

Brennand: Mas eu mandei ele embora quando eu vi você insatisfeita. Mas você mandou ele voltar.

Mulher: Eu sei que você mandou ele embora. Mas, daí, eu me senti mal e mandei voltar. Isso eu queria ter feito com a maior vontade do mundo não escondido, não escondido.

Brennand: Que bom que você fez porque está linda.

Mulher: Tá bom.

CASO THIAGO BRENNAND

Brennand ficou conhecido após a divulgação de um vídeo em que ele agredia a modelo Alliny Helena Gomes em uma academia de São Paulo, divulgado pela Globo.

Após a repercussão do caso, uma dezena de mulheres denunciaram o empresário por violência sexual, inclusive estupro. Pelas redes sociais, ele sempre negou.

Em setembro do ano passado, Brennand viajou para os Emirados Árabes Unidos horas antes de ser denunciado pelo Ministério Público sob a suspeita de ter agredido a modelo. Ele foi extraditado em abril de volta ao Brasil.

Até o momento, o empresário já foi julgado em quatro processos. Um deles, que se refere ao de Helena, ele foi condenado a um ano e oito meses de prisão e a pagar uma indenização. Em outro caso ele foi condenado a dez anos e seis meses de prisão pelo estupro de uma mulher americana em Porto Feliz.

Nos outros dois, um que se tratava de ameaça e outro de injúria, houve um acordo entre as partes -ambos também ocorreram pela 2ª Vara de Porto Feliz. O empresário tem uma casa na cidade

Brennand ainda responde a outros casos de agressão e crimes sexuais. Atualmente, ele está preso preventivamente no CDP (Centro de Detenção Provisória) 1 de Pinheiros, em São Paulo. De acordo com a SAP (Secretaria de Administração Penitenciária), ele ainda está detido provisoriamente pois as condenações são em primeira instância, sem trânsito em julgado.


Siga-nos no
O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Variedades

+ Variedades