Compartilhe este texto

Quando vale a pena recordar


Por Elizabeth Menezes

16/05/2024 6h28 — em
Ombudsman



Era o dia 18 de junho de 2012, ano de eleição municipal, quando a coluna Ombudsman, aqui mesmo neste portal, comentou sobre o “esquecimento” da imprensa em relação aos 61 municípios do interior do Amazonas. “Apenas os mais próximos de Manaus entram no noticiário. Em compensação, a eleição de Manaus é vasculhada, especulada, ´adivinhada´ e os nomes dos prováveis candidatos a prefeito não saem das pautas dos veículos de comunicação”, dizia um trecho. No dia seguinte, um leitor comentou a abordagem, via e-mail: “É muito importante que se tenha informações sobre o processo eleitoral no interior do Estado, haja vista que muitos, como eu, são filhos de municípios do Estado. Pra ser mais preciso, sou de Ipixuna e gostaria de obter notícias sobre o clima eleitoral naquele longínquo interior”. O que mudou, até agora, na eleição 2024? 

Contando com a compreensão dos leitores, o texto daquele junho de 2012, com o título “E para as eleições do interior, nada?”, vai aqui republicado. Na íntegra.

E PARA AS ELEIÇÕES DO INTERIOR, NADA?

O Amazonas tem 62 municípios e em todos haverá eleição este ano, para escolha de prefeitos e vereadores (em todo o Brasil, são 5.565 municípios). Mas, faltando apenas 11 dias para os partidos ou coligações tornarem as candidaturas oficiais, a maior parte dos 61 municípios do interior amazonense não tem merecido muita atenção da imprensa no quesito eleição. Apenas os mais próximos de Manaus entram no noticiário. Em compensação, a eleição de Manaus é vasculhada, especulada, “adivinhada” e os nomes dos prováveis candidatos a prefeito não saem das pautas dos veículos de comunicação. Reconheça-se que a preferência é até justificada: além de toda a chamada grande imprensa estar localizada na capital, a prefeitura de Manaus tem um orçamento de R$ 3,4 bilhões (aprovado em novembro de 2011, para ser executado em 2012).

Manaus, com a Zona Franca, concentra quase toda economia do Estado. Quem vai dirigir essa poderosa máquina tem de merecer mesmo muita atenção. Sem contar outros desdobramentos políticos, como por exemplo, o prefeito eleito em 2012 disputar a eleição para o governo, em 2014, e deixar no cargo o vice. Aí entra outra discussão sobre o vice e por aí vai. Talvez todos esses fatores levem a imprensa a dar maior atenção para a prefeitura da capital. A possibilidade de um prefeito (Manaus até agora não elegeu uma prefeita) ficar dois anos no cargo e virar governador é real para a capital, não para o interior. Até agora não se tem notícia de algum prefeito do interior ter conseguido a façanha.

 Em resumo, quem mora em Manaus tem pouca informação sobre o clima político em municípios mais distantes da capital, como por exemplo: Guajará (1.476 km), Envira (1.208 km), Eirunepé (1.160km), São Paulo de Olivença (985 km), Tonantins (865 km), Amaturá (909 km), Santa Izabel do Rio Negro (630 km) e Maraã (634 km). Eleição municipal, sabe-se, é uma preparação para a eleição geral, quando são escolhidos presidente da República, governadores, senadores, deputados federais e deputados estaduais. O interior do Amazonas, já é tradição, elege o governador e no primeiro turno. De acordo com o TRE (Tribunal Regional Eleitoral), o atual eleitorado do Amazonas está assim dividido: 986.505 no interior e 1.178.126 na capital, totalizando 2.164.631 votantes.

 Praticamente todos os deputados estaduais têm base eleitoral no interior. Nem por isso o processo eleitoral interiorano desperta muito interesse da grande imprensa. Forçoso também dizer que algumas prefeituras ou políticos do interior já têm assessoria de imprensa e esses “aparecem” um pouco. Como foi dito anteriormente, os municípios próximos de Manaus, como Manacapuru, Maués, Itacoatiara e Iranduba, são mais divulgados. Assim, já se sabe que o ex-prefeito Mamoud Amed (PSD) é candidato à prefeitura de Itacoatiara, assim como o padre Carlos Góes (PT) que, após receber autorização da Igreja Católica, vai disputar o cargo de prefeito em Maués. Itacoatiara, região metropolitana de Manaus, fica a 176 km da capital, enquanto Maués, a Terra do Guaraná, fica a 276 km (em linha reta).

O Portal do Holanda também divulgou as duas notícias.

Siga-nos no
Elizabeth Menezes, jornalista formada pela Ufam (Universidade Federal do Amazonas), repórter em jornais de Manaus, a exemplo de A Notícia, A Crítica e Amazonas em Tempo. Também trabalhou na assessoria de Comunicação da Assembleia Legislativa.

E-mail: [email protected]

ASSUNTOS: Ombudsman

+ Ombudsman