Projeto provoca enfrentamento entre oposição e situação na Câmara

Por

06/03/2012 14h46 — em Manaus

A votação de parecer contrário ao projeto de lei do vereador Wilton Lira (PDT) que modifica a Lei 1.361/09, reduzindo de 10% para 5% do total da frota de ônibus convencional o quantitativo de ônibus alternativos em Manaus, provocou   discussão entre vereadores esta manhã durante sessão plenária.

Puxada pelo autor do PL, a bancada do prefeito Amazonino Mendes (PDT) defendeu a derrubada do parecer contrário para que o projeto continuasse a tramitar na casa, já que é interesse da administração municipal reduzir ao máximo os ônibus executivos nas linhas da cidade.

Lira disse que “é uma falta de respeito com os usuários a existência de mais de 300 executivos rodando na cidade” e acusou a Câmara,  por ter aprovado lei em  2009 que  “afrouxou as rédeas” para a entrada de veículos clandestinos no sistema.

Imediatamente o oposicionista Elias Emanuel (PSB) reagiu, lembrando que a Lei tinha sido votada pela Câmara e que se existe irregularidades “são consequência da falta de fiscalização e de pulso do gestor do sistema, a prefeitura e a SMTU”. Para ele, se a prefeitura cumprisse a lei, haveria no máximo 180 executivos nas linhas.

Ante o posicionamento de Elias Emanuel, a bancada do prefeito entrou na discussão da matéria, começando por Homero Leão (PHS) que defendeu a manutenção do projeto, por considerar 10% um número expressivo para a frota alternativa. Leão definiu o transporte executivo como “uma verruga que cresceu na doença do sistema” e apelou à bancada para derrubar o parecer da CCJR.

Já o vereador Mário Frota (PDT), presidente da 2ª Comissão que deu o parecer, levantou suspeita de interesse do autor Wilton Lira na redução do número dos ônibus executivos por conta de outro projeto de sua autoria que regulamentaria a operação de triciclos de fabricação chinesa no sistema de transporte de Manaus.

Descontente, Lira respondeu que já havia retirado o PL dos triciclos e desafiou Frota a retirar projeto seu que regulamenta a atividade de táxis-lotação na cidade. Ao final da discussão em eu governistas defenderam o projeto e oposicionistas ficaram contra, o parecer foi derrubado e PL 181/2011 foi encaminhado à 3ª Comissão de Finanças, Economia e Orçamento.

NULL

+ Manaus