Conselheiro que foi assessor de Romeiro vota para limpar nome de ex-prefeito

Por

05/07/2012 13h44 — em Amazonas

“Fui secretário de estado e nem por isso aleguei suspeição para julgar as contas do Eduardo Braga”

O conselheiro Júlio Pinheiro, que poderia ter se julgado suspeito na votação do recurso de revisão das contas exercício 2002 do ex-prefeito de Presidente Figueiredo, Romeiro Mendonça, com quem trabalhou como consultor jurídico, disse que votou consciente. “Fui secretário de estado e nem por isso me julguei suspeito para julgar as contas do governador Eduardo Braga”, declarou.

“Fui secretário de estado e nunca me julguei impedido em nenhum processo de secretário de estado. Até porque eu acho que a consciência do juiz tem de valer”, disse, justiçando porque não se julgou impedido na votação   que deu provimento ao recurso de Romeiro nesta quinta-feira. Romeiro teve o nome   da lista dos “fichas sujas” entregue ao Tribunal Regional Eleitoral.

 
Júlio Pinheiro admitiu não negar que trabalhou para a prefeitura de Presidente Figueiredo, mas como um profissional. “Lá eu fui nomeado, mas fiz consultoria para vários gestores. Não se esqueça que eu fui advogado eleitoral  “, declarou

NULL