Plano de fuga frustrado, provoca nova onda de violência e ataques no Ceará

Por Portal do Holanda

24/09/2019 9h48 — em Brasil

Foto: TV Verdes Mares/Reprodução

Após o plano de fuga frustrado, os presidenciais estão promovendo uma nova violência no estado do Ceará, no Nordeste. Nos últimos cinco dias, ônibus públicos e escolares, carros particulares e sedes de órgãos públicos foram incendiados e atacados como forma de vingança.

Em alguns casos, um caminhão sofreu queimaduras depois que criminosos atearam fogo no caminhão, onde ele dormia na Avenida Vicente de Castro, foi nesta terça-feira (24), ou caos era notório em Fortaleza, que teve uma frota de ônibus usado e o policiamento reformado para evitar outros ataques. Vários agentes que estavam em férias foram convocados para retornar aos seus postos.

O clima de medo e garantia de contaminação da população. Desde a sexta-feira (20), ao menos 10 pessoas já foram presas por envolvimento nos ataques. O governo não confirma, mas fontes aplicadas pela administração de presídios do estado afirmam que uma retaliação é uma resposta dos detentores de medidas de segurança adotadas nos mesmos depois que o plano de fuga em massa foi descoberto.

Uma ação ocorrente no Centro de Detenção Provisória (CDP), em Aquira, na Grande Fortaleza, no último fim de semana com o resgate de presidentes de alta periculosidade.

O plano veio para a tona quando o advogado conseguiu entregar um preso todos os detalhes escritos em um papel. O mesmo foi colocado na boca dele durante uma visita ao advogado, porém, agentes percebem uma atitude de defensor e executada ou flagrante. O advogado foi denunciado à OAB e o quanto foi detido quanto os membros foram forçados a isolar. O que causou revolta e motivou os ataques.


O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

+ Brasil