O bem que o ovo fez a Vanessa

Por

20/09/2012 22h10 — em Editorial

O episódio do ovo, ou cuspe, caiu como uma luva na campanha de Vanessa Grazziotin. Não cabe discutir  aqui se foi um ataque de Artur Neto, como diz a senadora,  ou uma trama do grupo de Vanessa, como afirma Artur. O fato é que o episódio deu a musculatura que a candidata não tinha há duas semanas. E foi tão importante, do ponto de vista eleitoral, que vem sendo explorado como  "um lamentavel ato de violência  contra as mulheres".

O Ibope, que fez uma pesquisa no auge da polêmica, acabou captando o efeito colateral do ovo na vida de Vanessa: ela cresceu, enquanto Artur estacionou.

Vanessa se colocou na  posição de vítima e está sabendo desempenhar esse papel com notável competência. Artur demorou a reagir e isso está custando caro ao candidato, que precisa procurar um antídoto para conter o veneno que em grande parte se espalhou na alma dos eleitores, especialmente os que estavam indecisos.

O episódio deixa um ensinamento. O ovo, dependendo de como é preparado, faz milagres e também pode jogar muita gente no inferno.

Raimundo Holanda
NULL