​Semana inicia com uma esperança

Por Portal do Holanda

15/11/2015 20h50 — em Editorial

A semana inicia com o que podemos assinalar como a última via para empresários e empreendedores de produtos e serviços amazônicos darem um drible na crise econômica de 2015. A Feira Internacional da Amazônia (FIAM) começa nesta próxima quarta-feira, 18 com a promessa de ser uma tábua de salvação para os estoques parados, empreendedores insatisfeitos e empresários com sede de vender.
 
Neste viés da busca por atingir níveis de vendas e negócios, imediatos e a médio e longo prazos, que garantam uma margem de lucro equilibrada para o próximo 2016, um evento dentro da FIAM, promete ser o mais disputado: as rodas de negócios. Promovidas como eventos paralelos aos expositores da FIAM as rodadas, ao longo da história da Feira, sempre produziram novas oportunidades dos produtos amazônicos ganharem outras fronteiras, inclusive além do Brasil.
 
O que sempre chamou atenção ao modelo da FIAM é a oportunidade que oferece do micro e pequeno empresários até os de grande porte a exibição em alto padrão dos seus potenciais em tecnologia e diversidade de produtos e serviços amazônicos. Fica a esperança de que os negócios fechados nesta edição satisfaçam o bolso dos maiores geradores de emprego do país.
 
Aprofundando o tema da Rodada de Negócios. O empresário ou artesão que estiver inscrito nas Rodadas da FIAM terá um leque de 27 empresas âncoras (compradoras de produtos e serviços). Catorze delas são internacionais, vindas da Angola, Alemanha, Canadá, Equador, Espanha, Estados Unidos, França, Itália e Turquia; e treze são nacionais, oriundas dos Estados de Santa Catarina, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Pará. Na prática em 2013, a FIAM gerou US$ 17.6 milhões (R$ 40,8 milhões), a curto, médio e longo prazo. Este ano, o que vier é lucro!
 
A Suframa aponta em estudos internos e no seu conhecimento acumulado ao longo de outras edições da FIAM que os produtos mais procurados pelas empresas interessadas em comprar são artesanato geral e indígena, móveis, objetos em madeira e em couro, cosméticos, alimentos congelados, produtos orgânicos, polpas de frutas e pescado, entre outros com DNA da Amazônia Brasileira.
 
 
Para quem quer estudar e discutir a problemática da Amazônia e seus rumos para o futuro, nesta FIAM estão programados 15 seminários, que serão realizados entre os dias 18 a 21 de novembro, em diversos locais. Entre os temas a serem abordados, estão: Aquicultura; Inovação Tecnólogica; Desenvolvimento Regional; Turismo; Integração dos Países Amazônicos; Pesquisa & Desenvolvimento (P&D); Cosméticos; Oportunidades de Comércio Exterior; e Desafios e Perspectivas para o Polo Industrial de Manaus (PIM), diante da prorrogação do modelo Zona Franca de Manaus (ZFM) até 2073.
Até aí o mesmo do mesmo e discursos que não tem fim.