Na passagem da noite de sábado, Manaus terá que decidir o seu destino

Por Portal do Holanda

23/10/2014 19h03 — em Editorial

Manaus chega nestea sexta-feria a 345 anos de existência, na antevéspera de um dos seus momentos históricos mais importantes. Apenas 32 horas após virar a meia noite do dia do seu aniversário, seus cidadãos começam a votar para eleger o futuro governador do Amazonas. É um momento histórico importante, porque o voto dos manauaras vai decidir se a cidade continuará integrada ao conjunto de ações governamentais ou se seguirá politicamente isolada a partir de 1º de janeiro de 2015.

 

O fato é que Manaus tem o destino de ser uma cidade-estado dentro de um continente verde chamado Amazonas. E por ser a cidade-estado dentre as 62 sedes municipais amazonenses, arca com a responsabilidade de gerar mais de 90% da economia estadual. E cumpre o seu destino constitucional, democrático e solidário de dividir a riqueza que produz com os seus cidadãos do interior.

 

Por isso, apesar de ser uma das capitais mais ricas, e de colocar o Amazonas entre as maiores economias estaduais do país, a receita tributária que lhe cabe, decorrente de sua grande produção econômica, não é suficiente para atender a todas as demandas da cidade e de sua população. Assim, politicamente Manaus precisa de um governador amigo, para que possa continuar a se desenvolver e construir o progresso e a melhoria de vida do seu povo.

 

É o próprio prefeito de Manaus, Artur Neto, quem reconhece: “Não dá para governar Manaus da maneira que seria a ideal se nós não tivermos o que temos hoje, parceria com o Governo do Estado”.