Agente acusado de vazar operação da PF no Amazonas tenta trancar inquérito, mas tem recurso negado

Agente acusado de vazar operação da PF no Amazonas tenta trancar inquérito, mas tem recurso negado

Por

04/08/2012 7h53 — em Amazonas

Denunciado por suposto vazamento da "Operação Morfeu", da Polícia Federal do Amazonas, o agente Alexandre Marcondes Alves Cordeiro tentou com habeas corpus trancar  inquérito policial instaurado contra ele a pedido do procurador da República, Edmilson da Costa Barreiros , mas  o juiz convocado César Jatahy Fonseca, do Tribunal Regional Federal da Primeira Região, indeferiu no dia 26 de julho o pedido de liminar em habeas corpus.

De cordo com advogado do acusado, Amadeu Maués Filho, não há o que falar em sigilo, se o acusado não participou da ação. “Pessoas que não integram operações sigilosas não possuem o dever funcional de guardar sigilo de informações recebidas de terceiros", diz o defensor.

As alegações da defesa não convenceram o magistrado, que disse que a “concessão de liminar, para suspender o curso de procedimento investigatório ou de ação penal, deve estar fundada em flagrante ilegalidade, apta a ameaçar direito ambulatorial do paciente, o que não se verifica na hipótese em exame”

NULL

+ Amazonas