Siga o Portal do Holanda

Amazonas

Prefeito de Manaus lamenta saída de Nelson Teich em meio a pandemia do coronavírus

Publicado

em

Foto: Alex Pazuello / Semcom Foto: Alex Pazuello / Semcom
Foto: Alex Pazuello / Semcom

Sobre ‘Poder’ ficar com a mulher do melhor amigo


Manaus/AM - O Prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto lamentou a saída de Nelson Teich do Ministério da Saúde, nesta sexta-feira (15), e fez duras críticas ao presidente Bolsonaro ao comentar sobre a exoneração do ministro durante a pandemia do novo coronavírus.

“Assisto estarrecido à saída do ministro da Saúde, Nelson Teich. O presidente Bolsonaro continua com seu 'show' de ingestão à frente do maior cargo Executivo do nosso país. A demissão de ministros em plena pandemia é um forte e claro sinal de incompetência. Age como um tirano, quem não concorda é retirado, sem que sejam medidas as consequências de tal atitude. Não sei até quando o ministro Paulo Guedes irá aguentar as desfeitas e afrontas”, disse Arthur Virgílio Neto. 

Arthur também falou sobre as medidas de Bolsonaro contra o isolamento social: “O maior inimigo da pandemia é o presidente da República. Nós dizemos para a população ficar em casa e ele manda ir para a rua. Eu não consigo entendê-lo e nem apreciar o que ele faz. O presidente falou em abrir tudo, o que significa dizer que ele tem alguma coisa do Hitler dentro dele. É um genocida”, desabafou o prefeito. 

Na última visita de Teich a Manaus, o ex-ministro se comprometeu em mandar ajuda direcionada às etnias indígenas do Amazonas, após reunião com o prefeito. Com a saída do ministro, o secretário-executivo do ministério da Saúde, general Eduardo Pazuello, deve assumir interinamente a pasta, até que o presidente defina o nome do novo ministro.




Já leu estas ?

Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do Portal do Holanda estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral.

Copyright © 2006-2019 Portal do Holanda.