Siga o Portal do Holanda

Amazonas

Médico que errou em procedimento cirúrgico enfrenta ações que já somam R$ 600 mil

Publicado

em

Por

O médico Carlos Jorge Cury Mansilla e o Instituto do Coração (INCOR) enfrentam três ações por danos estéticos e morais que somam mais de meio milhão de reais. Outras  15 mulheres estudam ingressar com pedido de indenização contra o médico,   formado pela Universidade da Bolivia, mas com o diploma revalidado pela Ufam.  

A comerciária Solange Andrea dos Santos Bernardino e a autônoma Yara Glaucia Vieira Aguiar ingressaram com ação de indenização por danos morais, materiais e estéticos contra o médico  Carlos Jorge Cury Mansilla e o Instituto do Coração (INCOR). Elas estão pedindo R$ 324 mil.O médico, acusado de negligência e de erro em procedimentos de cirurgia estética, é formado  pela Universidade da Bolívia, mas teve o seu diploma revalidado pela UFAM. Até agora, as ações contra Cury, que iniciaram com as denúncias da corretora Doris Areal, somam mais de meio milhão de reais.
 
De acordo com Solange, em dezembro ela foi submetida a uma cirurgia de implante de prótese mamária, realizada no Instituto do Coração e pagou ao  médico a importância de R$ 6 mil. O resultado da cirurgia foi, segundo afirma, um desastre.

Já Yara, que trabalha como manicure em um salão de beleza, depois de ouvir de clientes que Carlos Cury era um bom médico e que fazia preços camaradas, resolveu procurá-lo para realizar uma cirurgia estética no nariz, pois a incomodava a imagem de “bolinha”.

De acordo com ela, na consulta o médico se disse especialista na área de cirurgia plástica e prometeu que deixaria seu nariz como a de uma modelo, “afilado” e “empinadinho”.

Durante avaliação, o médico disse que ela precisava também de uma lipoescultura e uma abdominoplastia, e que ele faria por um preço “amigo”   e que a "cirurgia estética" no nariz não seria cobrada, pois seria um “presente” pelo valor total das intervenções que somariam R$ 13 mil. O resultado não agradou a paciente: os seios ficaram tortos, em tamanos irregulares e o nariz...
 
Outra ação

A corretora Doris Areal também foi uma vítima de Carlos Cury. O  médico, em fevereiro de 2010, a submeteu a uma lipoescultura e a uma abdominoplastia, mas ela, assim com Yara e Solange, não conseguiu  a beleza, mas desfiguração do corpo.

Em setembro deste ano, depois de gastar mais de R$ 100 mil para recuperar a beleza, ela ingressou com uma ação que tramita na 16ª Vara Cível e de Acidentes de Trabalho, no valor de R$ 259.029,00.

+ Amazonas

Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do Portal do Holanda estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral.

Copyright © 2006-2020 Portal do Holanda.