Ifam: Lapassion oferece soluções sustentáveis para Amazônia

Por Portal do Holanda

08/05/2020 13h04 — em Amazonas

Estudantes do Ifam participam do Lapassion - Foto: Divulgação/Ifam

Manaus/AM – Depois de dois meses participando de reuniões, estudantes de países da Europa e América do Sul apresentaram soluções voltadas à sustentabilidade da Amazônia. As apresentações fizeram parte do projeto internacional 'Latin America Pratices and Soft Skills for an Innovation Oriented Network' (Lapassion) iniciado em março deste ano em Manaus-AM, e teve como tema ‘Tecnologias socioambientais para a sustentabilidade da Amazônia’, sendo o Instituto Federal do Amazonas (Ifam) a instituição anfitriã.

Devido à pandemia do novo coronavírus, as ideias foram apresentadas por videoconferência com a participação de professores, alunos e parceiros do projeto Lapassion. Ao todo foram apresentadas seis soluções que envolveram bikes sustentáveis, acesso a água potável, estação de coleta de lixo, identidades visuais mais atrativas para o cenário local e aplicativo de compartilhamento de desafios sustentáveis entre comunidades. As ideias partiram de desafios propostos por empresas e instituições (Caloi, Samsung, Transire, Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) e Fundação Amazônia Sustentável (FAS).

Para o estudante Yuri Santos, do Ifam, a participação no Lapassion foi uma experiência única. “Sou grato pela oportunidade, espero ter outra chance novamente. Tudo que aconteceu, as diferenças, tudo foi único. Espero que todos que tiveram a experiência que lembrem para vida toda”, disse.

A edição realizada em Manaus buscou potencializar as pesquisas, o desenvolvimento e a inovação científica para o benefício da Amazônia, e teve a participação de 30 alunos de instituições da Finlândia, Portugal, Chile e Brasil. A iniciativa foi coordenada pelo Instituto Politécnico do Porto (IPP - Portugal) e recebeu investimentos da União Europeia, com a finalidade de transferir para a América Latina boas práticas desenvolvidas no continente europeu, viabilizando realização de pesquisas e estágios entre as instituições participantes.

De acordo com o coordenador-geral do Lapassion, professor Carlos Ramos, do IPP, o desafio do projeto frente à covid-19 foi a impossibilidade de finalizar o projeto presencialmente. “Foram três semanas presenciais e sete semanas de forma remota em função da necessidade de isolamento social. Os projetos excederam as expectativas, principalmente frente às restrições em virtude da pandemia. Espero que os alunos sigam implementando esses projetos mesmo depois do La Passion e parabéns pelo sucesso dessa edição”, destacou.