Tribunal suspende oficial de justiça que reteve por sete meses mandado de citação

Tribunal suspende oficial de justiça que reteve por sete meses mandado de citação

Por

18/10/2012 7h33 — em Amazonas

O ex-secretário de governo da Prefeitura de Coari,  Adriano Teixeira Salan, que é oficial de justiça,  foi afastado preventivamente por 60 dias pela Corregedoria do Tribunal de Justiça do Amazonas. A juíza corregedora auxiliar, Ida Maria Costa, diz que "Salan tinha conduta desabonadora"


O afastamento ocorreu depois de denúncia do Bradesco,de que o oficial retém em seu poder um mandado de citação não cumprido, apesar de depósito feito a  seu favor no valor   de R$ 5.752  para cumprimento de citação em ação de título extrajudicial, que tramita na 18ª Vara Cível e de Acidentes de Trabalho.

O mandado foi expedido em 12 de março deste ano.  No seu parecer pela punição de Adriano, a juíza corregedora auxiliar, Luíza Cristina Nascimento, diz ser “inconcebível que a pessoa de detém poderes para praticar atos em nome do juiz , tenha conduta desabonadora”, se referindo ao mandado judicial que está nas mãos de Salan, há cinco meses, sem o devido cumprimento.

Expulsão não consumada

Em março deste ano a Corregedoria do tribunal havia opinado pela demissão de Salan,   acusado de advocacia administrativa e pedofilia. Estava respondendo a um procedimento administrativo disciplinar na Corregedoria do Tribunal de Justiça por determinação do CNJ.

O parecer pela demissão foi da  juíza corregedora auxiliar, Ida Maria Costa de Andrade,  acolhida pela desembargadora e corregedora do Tribunal de Justiça,à época, Maria do Perpétuo Socorro Guedes Moura, mas ele recorreu e permaneceu no cargo. A punição agora ocorre por caso menor... 

NULL

+ Amazonas