Superintendente da SMTU denunciado por formação de quadrilha. Bens poderão ser sequestrados

Por

07/03/2012 14h42 — em Amazonas

Manaus - O promotor de Justiça  Rodrigo Miranda Leão Júnior, da 2ª Promotoria Criminal, está pedindo  o seqüestro de R$ 4 milhões e 640 mil  do superintendente da SMTU, Marcos Cavalcante,  e sua demissão do cargo. A ação também envolve os familiares de Cavalcante:  Letícia Alencar Cavalcante, Antônio Anastácio Cavalcante Neto e Cosma Francisco Gomes de Araújo.

Marcos Cavalcante é acusado de extorquir cooperativa  de transporte alternativo para disponibilizar selos que permitiriam que seus associados continuassem  operando no sistema.

Também foram denunciados juntamente com Cavalcante, Claudiomar Proença de Souza, Julio de Oliveira Mendes e Venício José de Araújo, que seriam os responsáveis de receber e repartirem a extorsão com o superintendente.

Rodrigo Miranda  solicita ainda a suspensão do exercício da função pública de Marcos Cavalcante, e pede que  cópia da denúncia seja encaminhada ã Delegacia Geral de Polícia Civil para instauração de inquérito visando apurar crime de lavagem de dinheiro.


Na denúncia o promotor requer  que caso seja aceita pelo juiz da 1ª Vara Criminal, onde tramita a representação criminal, que Marcos Cavalcante  não mantenha qualquer contato com os demais denunciados.

Rodrigo Miranda, que aditou a denúncia no último dia primeiro deste mês,  retirou do rol de vítimas 19 cooperados e deixou apenas seis.

NULL