Compartilhe este texto

Saiba quem são Bruno Pereira e Dom Phillips, desaparecidos em Atalaia do Norte

Por Portal do Holanda

06/06/2022 15h10 — em
Amazonas


Montagem: Divulgação Funai / Reprodução Twitter @domphillips

O indigenista Bruno Pereira acompanhava o jornalista inglês Dom Phillips do jornal The Guardian, quando desapareceram em viagem pelo Vale do Javarí, no município de Atalaia do Norte. Bruno é servidor de carreira da Fundação Nacional do Índio (Funai) e os dois foram vistos pela última vez no domingo (5), entre a comunidade São Rafael e a sede do município.

Lideranças indígenas do grupo Univaja que informaram o desaparecimento, revelaram que Bruno foi alvo de ameaças de madeireiros, garimpeiros e pescadores. Ele atuou como coordenador regional da Funai de Atalaia do Norte e deixou o cargo em 2016, durante um conflito armado entre povos isolados.

Em 2018, Bruno se tornou o coordenador-geral de Índios Isolados e de Recém Contatados da Funai, quando chefiou a maior expedição para contato com os índios isolados dos últimos 20 anos. Foi exonerado do cargo em 2019 após ser perseguido por ruralistas ligados ao governo Bolsonaro. Nos últimos anos ele trabalhava na sede do órgão, em Brasília.

Dom Phillips é um jornalista de longa data do The Guardian no Brasil e estava trabalhando em um livro sobre meio ambiente. Ele vivia em Salvador (BA) e há mais de 15 anos fazia reportagens sobre o Brasil para jornais como Guardian, Washington Post, New York Times e o Financial Times.

Familiares do jornalista fazem apelo

“Imploramos às autoridades brasileiras que enviem a Guarda Nacional, a Polícia Federal e todos os poderes à sua disposição para encontrar nosso querido Dom”, tuitou Paul Sherwood, parceiro da irmã do jornalista. “Ele ama o Brasil e dedicou sua carreira à cobertura da floresta amazônica . Entendemos que o tempo é essencial, então, por favor, encontre nosso Dom o mais rápido possível.”

O líder indígena Beto Marubo contou ao The Guardian que um grupo local de buscas foi enviado e pediu ajuda da polícia e do exército. « Não temos tempo a perder, sob o governo Bolsonaro a pressão aumentou ainda mais porque os invasores se sentiram empoderados e se tornaram mais agressivos”, acrescentou Marubo, que disse que “gangues sistematicamente organizadas” de garimpeiros e caçadores ilegais estavam “saqueando” as florestas e rios da região impunemente.



O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Amazonas

+ Amazonas