Siga o Portal do Holanda

Amazonas

Promotor e juiz encurralados em Anamã

Publicado

em

Por

De acordo com o promotor  João Ribeiro Guimarães Neto, dizer que as eleições no interior do Amazonas  foram uma calmaria “é ocultar situações” como a que ocorreu em Anamã, na 53ª ZE, que não acabou em tragédia porque o tenente Padilha, da Polícia Militar, apesar de contar com poucos homens, enfrentou  centenas  de partidários do candidato derrotado Raimundo Chicó (PC do B), que tentaram invadir o Cartório Eleitoral.

Os alvos da multidão que gritava “morte ao promotor de Justiça e ao juiz”, foram o próprio promotor, que emitiu parecer pela impugnação da candidatura de Raimundo Chicó, e o juiz Celso de Paula, que acolheu o pedido.

Chicó, de acordo com o promotor, minutos depois de anunciado o resultado com a vitória de Jecimar Pinheiro (PSD), espalhou na cidade que três urnas eletrônicos tinham desaparecido e que os eleitores deveriam procurar a Justiça Eleitoral e principalmente o promotor, que seriam os responsáveis pelo sumiço das urnas.

“A massa manipulada por alguns vândalos e correligionários do candidato perdedor foram ao cartório eleitoral tomar satisfações”, disse o promotor, informando que o fato foi comunicado ao TRE, que prometeu mandar reforço policial para garantir a segurança no município.

Mas  o reforço de Manacapuru, só chegou a Anamã, na manhã de segunda-feira. “Se não fosse o tenente Padilha e seus homens, que tiveram de efetuar vários disparos para cima, uma tragédia teria ocorrido no município”, acrescentou.

TENSÃO TAMBÉM EM AMATURÁ

Em Amaturá a situação também era tensa nesta terça-feira, apesar de um reforço policial enviado ao municipio. Repartições públicas e o comércio amanheceram fechados.

NULL

+ Amazonas

Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do Portal do Holanda estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral.

Copyright © 2006-2020 Portal do Holanda.