Funcionário do Tjam flagrado em caso de extorsão é colocado em liberdade

Por

12/12/2012 8h23 — em Amazonas

O juiz Genesino Braga Neto, da 10ª Vara Criminal, concedeu alvará de soltura ao motorista do Tribunal de Justiça do Amazonas, Carlos Pedro da Silva Vieira. Carlos foi preso em flagrante por policiais da Força Tarefa da Secretaria de Segurança Pública na noite do dia 25 de outubro, ao se passar por oficial de justiça e tentar receber R15 mil de Edson Macena, proprietário de uma picape apreendida pelo próprio motorista.  O promotor de Justiça, Géber Mafra Rocha,  se manifestou pela manutenção da segregação do acusado.  

Ao emitir parecer contrário a expedição do alvará de soltura, de Carlos Pedro, o promotor Géber Mafra  disse que o acusado demonstra indícios de astúcia e personalidade voltada para o ilícito.

Diz ainda que acusado também se revelou astucioso ao premeditar o delito, envolvendo na execução dois policiais militares para abordar a vítima.
 
Entenda o caso

Carlos Pedro, que se passava por comissário e oficial de Justiça, foi preso em flagrante dia 25 de outubro em frente ao supermercado Bona Vitta, na avenida Torquato Tapajós. Ele é acusado de extorsão e estava dirigindo o carro oficial do Tribunal de Justiça do Amazonas, um Ford modelo Fiesta, de placa NOR-3810.

De acordo com policiais da Força Tarefa,  que efetuaram a prisão, Carlos exigia R$ 15 mil para liberar uma  Picape S-10, de placa OAB-9520 Prata, de propriedade de Edson Macena de Alencar, que ele mesmo havia apreendido. 

Com Carlos também foi preso para esclarecimentos o caminhoneiro José Valdinei Alves de Lima, que fazia companhia para o acusado no local da prisão.