Siga o Portal do Holanda

Amazonas

Delegado desrespeita medida judicial e ainda diz como juiza deve se comportar

Publicado

em

Por



 
O DELEGADO FEDERAL  Domingos Sávio Pinzon Rodrigues, chefe da Delegacia de Repressão a Crimes Fazendários (DELEFAZ), resolveu não cumprir a determinação da juíza Sabrina Cumba Ferreira, da 8ª Zona Eleitoral de Coari,  que mandou  fosse restituído  ao PMN os cerca  de R$ 480 mil  apreendidos na sede do Partido no dia 5.

Em ofício encaminhado à juíza, Domingos Sávio  diz que “discorda da conclusão da magistrada, sendo necessária a manutenção do dinheiro apreendido como forma de evitar, segundo ele,  o "desequilíbrio   da eleição,  já que o PMN   do prefeito Arnaldo Mitouso  teria o privilégio de permanecer ilegalmente  com quase meio milhão de reais em espécie, em clara afronta a Resolução do TSE”.

Desrespeito

O advogado da Coligação “Com a Força do Povo”, Elissandro Portela, disse  que o delegado cometeu  arbitrariedade  ao dizer que só recebia ordens do superintendente da Polícia Federal e que, por isso, o dinheiro estava apreendido. E a juíza nem sequer o repreendeu”.
 
CLIQUE AQUI E LEIA AQUI EDITORIAL

SOBRE O DESRESPEITO A JUSTIÇA ELEITORAL .


Elissandro explicou ainda não saber nem como nominar a postura do  policial, ao  assinar um documento refutando ponto por ponto a decisão da juíza do pleito e deixando claro que não cumpriria sua decisão.
 
 
VEJA A DECISÃO DA JUIZA

 

Entenda o caso -  Agentes da Polícia Federal apreenderam noite na noite do dia 5, em Coari   R$ 479 mil na sede do PMN, partido do prefeito Arnaldo Mitouso, que concorria  à reeleição.

O dinheiro foi encaminhado a Manaus para a realização de depósito em conta judicial.

Os coordenadores de campanha da coligação “Com a Força do Povo”, que ttinha como candidatos à reeleição  Arnaldo Mitouso (PMN) e Railson Torres (PPS), afirmaram que o dinheiro apreendido era destinado ao pagamento de cerca de 2.200 cabos eleitorais e 300 fiscais legalmente contratados para atuar no pleito.  A juiza acatou o argumento da coligaçao e mandou que o dinheiro fosse devolvido, mas o delegado resolveu não obedecer a magistrada.

NULL

+ Amazonas

Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do Portal do Holanda estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral.

Copyright © 2006-2020 Portal do Holanda.