Bastidores da Política - Faltou habilidade na condução das discussões sobre segurança em Manaus


Faltou habilidade na condução das discussões sobre segurança em Manaus

Por Raimundo Holanda

18/11/2016 6h27 — em Bastidores da Política

A profissão de cobrador de ônibus está acabando em todas as cidades. É produto das novas tecnologias. Em Manaus poderia ocorrer de forma natural se não tivesse sido de certa forma antecipada para inibir os assaltos a ônibus. Isso porque sem o cobrador  também acaba o uso de moedas nas catracas. O problema está na falta de habilidade para tratar de assunto sensivel e o resultado foi a série de protestos do Sindicato dos Rodoviários, que ontem iniciou uma sequência paralisações de ônibus, deixando milhares de usuários sem transporte.  Quer dizer, a Secretaria de Segurança tenta atacar um problema e cria outro, igualmente grave. 

A proposta de acabar com o pagamento das passagens em dinheiro é do Sinetram, o sindicato patronal, interessado em reduzir custos. O erro foi a Secretaria de Segurança assumir o ônus de medida nada simpática. Mais greves virão por aí, para desespero do usuário de transporte coletivo.  (RH) 

DEPUTADOS APELAM A SSP

Segundo os deputados Luiz Castro (Rede), Cabo Maciel (PR) e José Ricardo Wendling (PT), a extinção do dinheiro nos transportes coletivos não resolverá o grave problema da violência na cidade de Manaus e, além do mais, só ajudará os empresários já que a população continuará à mercê dos assaltos.

@@@

Dizem os parlamentares que nos estados onde a medida foi adotada os assaltos não diminuíram, mostrando que os bandidos estavam interessados nos objetos pessoais das vítimas, incluindo dinheiro e celulares.

@@@

O pior, conforme Castro, seria a medida resultar na demissão de 3 mil cobradores em Manaus. Por isso, os parlamentares apelam ao secretário estadual de Segurança Pública, Sérgio Fontes, para que reavalie a questão.

A VOLTA DE SIDNEY

De volta à Assembleia Legislativa, o ex-titular da Sepror, deputado Sidney Leite (Pros), usou ontem a tribuna para elogiar o governador José Melo (Pros) e destacar os seus esforços para interiorizar o desenvolvimento econômico do Estado e combater o empobrecimento da população.

@@@

Sidney também trocou figurinhas com o seu colega de Pros e concorrente à presidência da Aleam, deputado Belarmino Lins, e concordou com o peemedebista Vicente Lopes quando este, em aparte, criticou os políticos e protestou contra a eterna distância entre discurso de campanha e prática de princípios no período pós-eleições.

@@@

Belão aproveitou a intervenção de Lopes para lamentar o descrédito da classe política perante a opinião pública, lembrando as detenções dos ex-governadores Sérgio Cabral e Anthony Garotinho pela Polícia Federal, no Rio de Janeiro.

@@@

“Precisamos refletir a sério sobre tudo isso e não podemos esquecer, a propósito, que o nosso Amazonas possui um dos mais altos IDH do País e, no entanto, tem em Atalaia do Norte uma realidade de pobreza semelhante a do continente africano”, completou Sidney.

CAMPANHA ESQUENYS

O retorno de Sidney Leite a Assembleia Legislativa excitou a disputa pela presidência do Poder. Ontem aumentaram as rodas de conversas entre os deputados dentro do Plenário Ruy Araujo, algumas envolvendo o próprio Sidney e outras intensificando articulações contrárias ao Pros.

 

 

Raimundo de Holanda é jornalista de Manaus. Passou pelo "O Jornal", "Jornal do Commercio", "A Notícia", "O Estado do Amazonas" e outros veículos de comunicação do Amazonas. Foi correspondente substituto do "Jornal do Brasil" em meados dos anos 80. Atualmente escreve a coluna Bastidores no Portal que leva seu nome.