Bastidores da Política - Estado do Amazonas dribla UEA e beneficia universidade mineira


Estado do Amazonas dribla UEA e beneficia universidade mineira

Por Raimundo Holanda

15/08/2019 22h22 — em Bastidores da Política

O Estado do Amazonas acaba de driblar interesses da UEA ao firmar contrato de R$ 14,3 milhões com  a Universidade de Juiz de Fora.O objetivo do contrato é  preparar alunos da rede pública para avaliações oficiais.    

INTERESSES CONTRARIADOS - A Seduc alega que a proposta da UFJF “foi exequível e satisfatória ao interesse público’. Mas trata-se de uma instituição de fora do Amazonas e sua contratação, ao contrário do que afirma a secretaria de Educação, fere interesses de uma universidade do Estado, que estava se preparando para assumir esse papel.

DINHEIRO  PARA MINAS - E fere o interesse público, à medida que recursos que poderiam ser utilizados pela UEA, acabam desaguando em Minas Gerais…

NO PREJUÍZO - Os amazonenses saem mais uma vez no prejuízo, porque o interesse público na verdade satisfaz interesses  privados, não o interesse do cidadão, que gostaria de ver a universidade estadual do tamanho que ela foi criada, mas que vem sendo cotidianamente solapada e num processo acentuado de estrangulamento.

A REVELAÇÃO

A manifestação do deputado Marcelo Ramos na subcomissão especial da reforma tributária, contra a simplificação do sistema atual, unificando impostos e extinguindo outros, revela o perfil de um político amadurecido para o exercício do cargo federal.

DISCURSO  ENXUTO - Com um discurso técnico, sereno e enxuto, Marcelo coloca que o problema tributário do país não é a complexidade, mas a regressividade, que faz com que os mais pobres paguem mais impostos do que os mais ricos. Comparativamente o Amazonas paga mais tributos do que SP.

PRECONCEITO - Destacado na grande mídia nacional, Marcelo tem sido incompreensivelmente tratado com preconceito pela mídia local, que deveria alinhar-se à sua voz em defesa principalmente das vantagens da ZFM, como política de desenvolvimento regional, na reforma em andamento.

Raimundo de Holanda é jornalista de Manaus. Passou pelo "O Jornal", "Jornal do Commercio", "A Notícia", "O Estado do Amazonas" e outros veículos de comunicação do Amazonas. Foi correspondente substituto do "Jornal do Brasil" em meados dos anos 80. Atualmente escreve a coluna Bastidores no Portal que leva seu nome.