Jorge morreu e mulheres brigam por pensão

Por

22/05/2012 7h31 — em Amazonas

 Jorge Daniel Pimentel Goulart, ex-funcionário público, era casado com Altamira Pimenta Goulart, mas tinha outra companheira - Luiza Borges de Souza, ambas inscritas como dependentes no extinto Ipasea.   O  instituto de previdência  rateou a pensão a que as duas mulheres tinham direito com a morte do servidor  - 66% para  a companheira informal,  com quem o Jorge  tinha um filho menor e 33% para a a esposa. Com a maioridade da criança, Altamira  está  reivindicando que a pensão seja dividida meio a meio.



Manaus ( Portal do Holanda ) - O juiz Márcio Rothier Pinheiro Torres, da 4ª Vara da Fazenda Pública Estadual, tem em suas mãos um processo de revisão de pensão onde Altamira Pimenta Goulart, esposa de Jorge Daniel Pimentel Goulart, briga contra o Fundo Previdenciário do Estado do Amazonas, mas aparece como litisconsorte no meio da luta judicial Luíza Borges de Souza, tratada também como companheira de Jorge.

Luiza, por ter um filho, leva a maior parte da pensão(66%) e Altamira ingressou, que tem apenas 33%, com mandado de segurança com pedido de liminar, questionando que o filho do marido com a companheira já atingiu maioridade e diante disso ela pede a revisão do benefício de 50% para cada uma.

Mas o juiz Márcio Rothier se acautelou em conceder a liminar a Altamira, uma vez que o beneficiário mantinha as duas mulheres como esposas e com inscrições no extinto Ipasea.

NULL

+ Amazonas