Com slogan tratando da marginalidade, Wallace entra na política

Por Portal do Holanda

14/03/2021 20h47 — em Caso Wallace

Foto: Reprodução

Oferecendo cenas de mortes de traficantes que aterrorizavam a população, o sucesso do programa “Canal Livre” disparou, especialmente nas camadas de renda mais baixa da população, vítimas mais frequentes da violência e do tráfico de drogas. E paralelo a isso, impulsionou a entrada de Wallace Souza na carreira política, garantindo a ele três mandatos como deputado estadual.

Na primeira eleição disputado estadual, em 1998, foi o mais votado da história do Amazonas, recebendo mais de 51 mil votos, proporcionalmente uma das maiores votações do País para uma assembleia legislativa.

Na mesma onda, o irmão, Carlos Souza, foi eleito deputado-federal por três mandatos (2003, 2011 e 2017), assim como o outro irmão, Fausto Souza, eleito deputado estadual. Os “irmãos coragem” ganhavam fôlego político com o intuito de “reduzir a marginalidade”.

Mas o último mandato de Wallace Souza não foi concluído.  Em 2009, sob a acusação de liderar a organização criminosa apontada pelo MP-AM, ele foi cassado. As investigações concluíram que parte dos crimes exibidos no Canal Livre teriam sido encomendados pelo grupo dele, na busca por audiência e para prejudicar criminosos adversários da quadrilha que o parlamentar foi acusado de liderar.

Ele negava as acusações e se dizia vítima de perseguição política. O fato de ter sido o relator do processo sobre investigação de pedofilia do ex-prefeito de Coari, Adail Pinheiro, era um dos motivos alegados por Wallace da “perseguição política”.

 


O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.