Saiba como Wilson Lima teria ajudado Flávio Bolsonaro a faltar em acareação

Por Portal do Holanda

22/09/2020 10h57 — em Amazonas

Wilson Lima e Flávio Bolsonaro durante evento na última sexta-feira em Manaus - Foto: Divulgação/Secom

Manaus/AM - O senador Flávio Bolsonaro faltou em uma acareação do Ministério Público Federal (MPF), que seria realizada na última segunda-feira (21), colocando ele frente a frente com o empresário Paulo Marinho. A ausência do senador pode ter tido a ajuda do governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), para formação de um álibi. 

O suposto plano foi explicado na coluna do jornalista Ricardo Noblat, do site Veja, divulgado nesta terça-feira (22). Além do governador do Amazonas, o presidente da Embratur, Gilson Neto, e o apresentador Sikêra Junior também estariam envolvidos no esquema para ajudar Flávio Bolsonaro. 

Pelo lado de Wilson Lima e o presidente da Embratur foi organizada uma solenidade de lançamento de um programa de reabertura do turismo no Amazonas, que ocorreu na última sexta-feira (18), com a presença de Flávio Bolsonaro e também do seu irmão, o deputado Eduardo Bolsonaro.

Flávio e Eduardo continuaram em Manaus, realizando visitações turísticas e na segunda-feira passada, no dia da acareação, os dois foram até a TV A Crítica para encontro com o apresentador Sikêra Jr., onde posaram para fotos e se tornaram assunto nacional por divulgarem vídeo onde cantam uma música sobre “todo maconheiro dá o boga”. 

O jornalista da Veja afirma que essa estratégia ajudou Flávio Bolsonaro a "empurrar com a barriga" essa acareação com o empresário Paulo Marinho, que deve ser remarcada para outubro. Flávio é investigado em ação que apura vazamento de operação da Polícia Federal. 

O MPF deve pedir ao Supremo Tribunal Federal (STF) que aplique uma punição a Flávio pela falta, pois a justificativa só seria aceita em caso de apresentação de atestado médico.