Compartilhe este texto

Polícia aponta 'honrarias' e interferência em prisão de Milton Ribeiro; ex-ministro foi solto

Por Portal do Holanda

23/06/2022 15h43 — em
Brasil


Milton Ribeiro - Foto: Ministério da Educação/Catarina Chaves

A polícia apontou 'honrarias inexistentes na lei' e interferências na prisão do ex-ministro da educação Milton Ribeiro durante a operação Acesso Pago. De acordo com a PF, Ribeiro foi solto por ordem judicial na tarde desta quinta-feira (23). 

"Considerando boatos de possível interferência na execução da Operação Acesso Pago e objetivando garantir a autonomia e a independência funcional do Delegado de Polícia Federal, conforme garante a Lei nº 12.830/2013, informamos que foi determinada a instauração de procedimento apuratório para verificar a eventual ocorrência de interferência, buscando o total esclarecimento dos fatos", diz a nota da PF sem esclarecer o que seria a "interferência". 

Em uma mensagem interna a colegas da PF, o delegado Bruno Calandrini disse que uma "decisão superior" determinou que Ribeiro não fosse transferido para Brasília, o que deveria ter acontecido conforme a determinação judicial. 

O possível tratamento diferenciado ao ex-ministro teria impedido os procedimentos da investigação. O delegado também disse que ele deixou de ter "autonomia investigativa para conduzir o Inquérito Policial deste caso com independência a segurança institucional". 

"O principal alvo, em São Paulo, foi tratado com honrarias não existentes na lei, apesar do empenho operacional da equipe de Santos que realizou a captura de Milton Ribeiro, e estava orientada, por este subscritor, a escoltar o preso até o aeroporto em São Paulo para viagem a Brasília", escreveu o delegado. 

Leia a mensagem que o delegado responsável enviou:

O deslocamento de Milton para a carceragem da PF em SP é demonstração de interferência na condução da investigação, por isso, afirmo não ter autonomia investigativa e administrativa para conduzir o Inquérito Policial deste caso com independência e segurança institucional.

Falei isso ao Chefe do CINQ ontem, após saber que, por decisão superior, não iria haver o deslocamento de Milton Ribeiro para Brasília, e, manterei a postura de que a investigação foi obstaculizada ao se escolher pela não transferência de Milton a Brasília à revelia da decisão judicial.

As equipes de Gyn, Brasília, Belém e Santos, que cumpriram a missão de ontem, trabalharam com obstinação nas ruas e no suporte operacional, um trabalho hercúleo para o cumprimento dos mandados durante a Operação Acesso Pago, literalmente se esforçaram 24/7 e foram aguerridos em capturar todos os alvos. Faço referência especial às equipes de GYN que, mesmo após a prisão, ainda escoltaram os presos via terrestre, para a SR/PF/DF, incontinenti.

No entanto, o principal alvo, em São Paulo, foi tratado com honrarias não existentes na lei, apesar do empenho operacional da equipe de Santos que realizou a captura de Milton Ribeiro, e estava orientada, por este subscritor, a escoltar o preso até o aeroporto em São Paulo para viagem à Brasília.

Quantos presos de Santos, até ontem, foram levados para a carceragem da SR/PF/SP?

É o que tinha a manifestar em lealdade a vocês que cumpriram a missão de ontem com o espírito do verdadeiro policial feceral.

Abraço.



O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Brasil

+ Brasil