Bastidores da Política - O ‘fake invertido’ do coronavírus no Amazonas


O ‘fake invertido’ do coronavírus no Amazonas

Por Raimundo Holanda

17/08/2020 17h29 — em Bastidores da Política

O que é fake? É a falta da Verdade. E o que é a negação da verdade, senão o fake invertido. Em relação ao crescimento dos casos de coronavírus, negado pelas autoridades do Estado do Amazonas, o que se percebe é que especialmente os políticos  passaram a viver em  um mundo no qual precisam  manter seus projetos,  ainda que  em cima de cadáveres.

Estão falhando com as pessoas, traindo uma geração que pode sobreviver ao vírus, mas  em grande parte sequelada.

Aglomerações sem nenhum controle em Manaus

Tudo porque os políticos ou parte deles, só pensam em si mesmos, em seus interesses, em seus compromissos com o poder, em suas parcerias nem sempre republicanas, em acordos muitas vezes espúrios.

Nunca olham o outro ou os outros  como se vêem. Imaginam que são diferentes, imunes a esse vírus, e não são.

Há muita desinformação sobre  a Covid 19. Mas o que assusta é a negação de que o vírus contamina em média cerca de 700 pessoas dia e que  continua matando.

O  mais importante não é olhar o número de mortos. É evitar que esse número, ainda pequeno em comparação ao pico da pandemia nos primeiros meses do ano,  tenha um crescimento  explosivo, voltando aos níveis de maio e junho.

É   assustador perceber que pouca coisa tem sido feita para evitar uma nova onda, com enterros coletivos e muita dor,  especialmente entre os mais pobres.

Em  algum momento as pessoas vão apontar o dedo para os que, irresponsavelmente,  as estão conduzindo para o matadouro…