Siga o Portal do Holanda

Amazonas

No Amazonas, mulheres vítimas de violência contam com atendimento especializado

Publicado

em

Manaus/AM - Para combater o crescimento dos números da violência contra as mulheres, o Governo do Amazonas oferece atendimento especializado às vítimas. Por meio de uma rede de proteção, elas são acolhidas e recebem atendimento social e psicológico, orientação jurídica, participam de cursos de qualificação profissional, grupos de apoio, rodas de conversa e palestras temáticas.

De janeiro a julho de 2019, foram registrados 68.331 crimes tendo mulheres como vítimas, segundo dados Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (Seai), vinculada à Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM). O número é 20% maior do que o registrado no mesmo período do ano passado, quando foram contabilizados 11.443 crimes de violência contra a mulher. Nos primeiros sete meses deste ano, os casos de violência doméstica chegaram a 15.199.

Nesta gestão, a causa feminina ganhou atenção especial por meio de ações como a inauguração, no início desse mês, da terceira Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM) de Manaus, localizada no bairro Colônia Oliveira Machado, zona sul. A unidade fortalece a rede de proteção à mulher, que conta com outras duas delegacias especializadas, sendo uma na avenida Mário Ypiranga Monteiro, bairro Parque 10, zona centro-sul; e outra no 13º DIP, na rua Santa Ana, bairro Cidade de Deus, zona norte.

“É um compromisso que nós assumimos e que estamos cumprindo. Na capital havia apenas uma Delegacia da Mulher e um anexo, que ficava no bairro Cidade de Deus. Hoje nós transformamos o anexo em uma delegacia e, aqui na zona sul, estamos entregando mais uma Delegacia da Mulher, entendendo que não é só trabalhar na repressão. Nós estamos trabalhando e fortalecendo instrumentos que amparem a mulher”, enfatizou o governador Wilson Lima.

A nova Delegacia da Mulher atende vítimas de crimes ocorridos nas zonas sul e oeste, com funcionamento das 8h às 17h. Depois desse horário e nos finais de semana e feriados, o atendimento ocorre na sede da Delegacia da Mulher, no bairro Parque Dez de Novembro, zona centro-sul, que atua com plantão de 24 horas.

A delegada titular da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher do Parque 10 (zona centro-sul), Débora Mafra, destaca os crimes que são os maiores produtores de boletins de ocorrência.

“O crime campeão é o de ameaça, que é um crime fácil. É a violência psicológica, que qualquer um consegue fazer por palavras. O segundo é a injúria, que são os xingamentos, as humilhações que aquela mulher sofre, por violência moral. Em terceiro lugar vem as vias de fato, que são os empurrões, puxões de cabelo, tapas que não deixam marcas. Em quarto lugar, lesão corporal. A maioria dos agressores são ex e atuais companheiros das vítimas”, pontua a delegada.

Os números, apesar de elevados, mostram que as campanhas que incentivam as mulheres a quebrarem o silêncio e denunciarem os agressores apresentam maior receptividade e efeito positivo. “Nós estamos aqui 24 horas por dia, com delegados plantonistas, escrivães, investigadores, viaturas, tudo isso para proporcionar para a mulher uma segurança e garantia que o que ela sofreu vai terminar. Que o Governo do Estado do Amazonas está dando todo o apoio para que isso aconteça, olhando a rede de proteção, que hoje existe e funciona muito bem”, frisa Débora Mafra.

No início de agosto foi inaugurada a primeira unidade do Serviço de Apoio a Mulheres, Idosos e Crianças (Samic), no município de Itacoatiara. “Esse é um projeto do Governo do Estado de interiorizar a rede de proteção. Aqui nós temos as delegacias especializadas separadas, mulher, idoso e criança. No interior, a delegacia especializada funciona para atender esses três públicos vulneráveis. Então para os interiores nós estamos levando o Samic. O primeiro já está funcionando em Itacoatiara e está sendo um sucesso. Em dois meses nós atendemos 87 mulheres com um atendimento psicossocial e com a integração de toda a rede”, enfatizou a secretária Caroline Braz, da Sejusc.

Outras seis unidades estão sendo planejadas para o interior do Estado.

As vítimas de violência doméstica podem procurar qualquer um dos Distritos Integrados de Polícia (DIPs) na capital e interior. Em Manaus, existem três unidades especializadas no atendimento de violência doméstica.

Em situações de emergência, a mulher, um familiar ou qualquer vizinho pode ligar para o 190, 180 e 181. Mulheres com medidas protetivas contam com o aplicativo “Alerta Mulher”, que faz o monitoramento por GPS e garante atendimento imediato à ocorrência. Também é possível falar com a Ronda Maria da Penha pelo número (92) 98842-2258.

Bolsonaro e Lula são iguais

Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do Portal do Holanda estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral.

HORA do H: VANESSA DA SILVA POLLARI, NUTRICIONISTA ESPECIALISTA EM OBESIDADE


Copyright © 2006-2019 Portal do Holanda.