Meninas do Quênia sofrem em cerimônia de mutilação

Por Portal do Holanda

14/11/2014 14h23 — em Mundo

Imagens chocantes revelam um pouco do sofrimento das meninas da tribo Pokot que participaram do ritual de mutilação genital de um vilarejo rural em Baringo, no Quênia.

A prática dessa mutilação (FGM, na sigla em inglês) é uma prática que consiste em retirar parte ou todo o órgão sexual de mulheres e crianças. Casos mais extremos, a mutilação é realizada nos lábios vaginais e clitóris (processo de infibulação).

A prática já submeteu cerca de 150 milhões de mulheres ao redor do mundo, segundo informações da ONU. Embora a cruel “tradição” tenha sido declarada ilegal em muitos países africanos, o Egito é um exemplo, a prática ainda sobrevive em comunidades menores e famílias.

As pessoas principalmente as mães nestas comunidades isoladas, acreditam que suas filhas mutiladas são vistas como mulheres limpas e conseguem os melhores casamentos. As imagens foram feitas pelo fotógrafos da Reuters Siegfried Modola.