Compartilhe este texto

A rejeição da vida adulta e a síndrome de Peter Pan


Por Karine Simas

09/06/2022 20h51 — em
Espelho, espelho meu


Foto: Ilustrativa

O desejo de voltar à juventude sempre ronda o pensamento de adultos. Voltar à época onde temos tudo à mesa, preparado pela família e, principalmente, não ter boletos para pagar, acaba sendo muito atrativo, e pensar não arranca pedaço né?

Acontece que em muitos casos, essa rejeição da vida adulta é tão grande, que alguns desenvolvem atitudes de verdadeiras crianças. Todos nós já tivemos um relacionamento seja com amigo, namorado ou até mesmo colega de trabalho, onde o mesmo age com arrogância, ou instabilidade emocionais para lidar desde as coisas mais simples até responsabilidades maiores, além da falta de responsabilidades para lidar com as próprias obrigações.

O que pouca gente fala sobre a vida adulta, é que todos têm seus próprios problemas e particularidades para lidar com as particularidades alheias. Em uma empresa, a falta vontade para assumir responsabilidades atrapalha o 'todo', em um relacionamento, você acaba se tornando 'pai' ou 'mãe' do parceiro (a).

As pessoas com a chamada síndrome de Peter Pan, geralmente, possuem uma incapacidade de cuidar de si e assumir a responsabilidade por suas próprias ações. Dessa forma, acabam culpando os outros pelas suas faltas de conquistas como uma forma de tirar o peso das próprias atitudes.

Muitas vezes desencadeado na infância, o distúrbio pode atrapalhar o adulto. O mais indicado é buscar um tratamento psicológico para que a pessoa possa, em primeiro lugar, assumir que possui a doença e buscar junto com um profissional, melhorias e crescimento.

Já para quem precisa lidar com o indivíduo que possui essa condição, o apoio é peça chave para tal. O suporte precisa ser constante, e é necessário lembrar que muitas vezes o indivíduo não consegue controlar a maneira como está se comportando. Sendo assim, a empatia e a paciência são fundamentais para seguir em contato.

 


Os artigos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados nesta coluna não refletem necessariamente o pensamento do Portal do Holanda, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

ASSUNTOS: Espelho, espelho meu