Magistrados terão salário superior a R$ 30 mil

Por

15/01/2015 21h05 — em Amazonas

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) determinou que os tribunais reajustem imediatamente os salários de seus desembargadores e juízes, sem a necessidade de ser transformado em Lei pela Assembleia Legislativa. O aumento deve ter como referência o valor do subsídio de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), reajustado nesta segunda-feira (12) em lei sancionada pela presidenta Dilma Rousseff.

O reajuste no salário dos juízes é um dos primeiros efeitos da lei sancionada pela presidenta Dilma no início da semana. De acordo com ela, ministros do STF e procurador-geral da República passaram a ganhar, desde o dia 1° de janeiro, R$ 33.763,00 – 14,6% a mais que o valor anterior, de R$ 29.462,25.

De acordo com a presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), desembargadora Graça Figueiredo, a autorização para o reajuste imediato nos tribunais estaduais foi determinado pelo conselheiro Gilberto Martins, membro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em atendimento a um pedido da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB).

Nesta quinta-feira, o TJAM publicou o despacho da presidente com a tabela de valores do reajuste.

VALORES
A decisão, proferida nesta terça-feira (13), foi baseada na lei federal, sancionada pela presidente Dilma Rousseff no mesmo dia, que eleva o salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) de R$ 29,4 mil para R$ 33,7 mil em 2015.

A Constituição diz que o salário de ministros do Supremo é o valor máximo que pode ser pago mensalmente a servidores públicos, e que o salário de magistrados de instâncias inferiores deve ser calculado conforme esse teto.

De acordo com a tabela de reajuste, os salários de desembargadores e juízes, além dos funcionários do Judiciário, serão calculados com base nos salários do ministros, sendo que 3% a menos. Por exemplo, um ministro, com o reajuste vai receber R$ 33.763,00, logo o desembargador passa a ganhar R$ 30.471,11; o juiz de entrância final R$ 27.424,00; o juiz de entrância inicial R$ 24.681,60 e o juiz substituto de carreira R$ 24.681,60.

Servindo como referência para o teto do funcionalismo público, o reajuste também será a referência para a definição de salários não só de juízes, mas de promotores, deputados federais e estaduais, senadores, secretários, governadores, prefeitos e vereadores.