Compartilhe este texto

Band vai à feira de TV dos Estados Unidos para tentar retorno de novelas turcas

Por Folha de São Paulo

19/05/2024 11h16 — em
Arte e Cultura



ARACAJU, SE (FOLHAPRESS) - A Band foi ao mercado internacional para tentar o retorno das novelas produzidas pela Turquia para a sua programação, que são sucesso no streaming, mas se popularizaram em exibições feitas pela TV do Morumbi na década passada.

A emissora enviou Marianne Castro, executiva de aquisições e distribuição de conteúdo do Grupo Bandeirantes, para a LA Screenings, uma das maiores feitas de televisão dos Estados Unidos, que aconteceu até a última sexta-feira (17).

A missão de Castro foi especificamente procurar tramas disponíveis para compra. O objetivo da Band é mostrar as tramas por volta das 22h30, atualmente ocupado por séries como "Vikings".

A Band iniciou o filão de novelas da Turquia no Brasil após observar o seu sucesso em toda a América Latina. Em 2015, a rede fez a primeira aposta nas novelas turcas com "Mil e Uma Noites" (2006-2009), que foi um sucesso de audiência para os seus padrões.

"Fatmagül: A Força do Amor" (2010) veio logo em seguida e também marcou bons índices. "Sila: Prisioneira do Amor" (2006), "Ezel" (2009), "Amor Proibido" (2010) e "Asas do Amor" (2017) vieram na sequência, mas não repetiram o sucesso. A última transmitida foi "Minha Vida" (2014), exibida em horário nobre em 2019.

Hoje, as novelas da Turquia conseguem ser sucesso na internet, especialmente em plataformas de streaming, que disponibilizam diversas produções ao público.

No Globoplay, por exemplo, "Hercai: Amor e Vigança" é um dos produtos mais vistos da plataforma de streaming da Globo, chegando até a vencer o remake de "Renascer", atual principal produção de teledramaturgia da maior emissora do Brasil.


Siga-nos no
O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Arte e Cultura

+ Arte e Cultura