Projeto com aulas pela TV e web completa três meses em Manaus

Por Portal do Holanda

02/07/2020 9h03 — em Amazonas

Aula em Casa tem mais de 240 mil alunos - Foto: Ione Moreno/Semcom

Manaus/AM - Mais de 240 mil alunos da rede municipal de ensino completaram, na quarta-feira, 1°/7, três meses de aulas não presenciais, por meio do projeto “Aula em Casa”, com atividades transmitidas pela internet e TV aberta, além de envio de materiais impressos a quem não tem acesso. O objetivo da Prefeitura de Manaus é dar continuidade ao fluxo de aprendizagem dos estudantes, sem expor ao risco de contágio ao novo coronavírus, causador da covid-19.

A medida, que é resultado de uma parceria entre as secretarias municipal de Educação (Semed) e de Estado de Educação e Desporto (Seduc), faz parte das ações do município voltadas para o combate ao novo coronavírus. Após a confirmação do primeiro caso de covid-19, na capital amazonense, em 13 de março, o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, como forma de prevenção, antecipou o recesso escolar da rede municipal e, em seguida, suspendeu as aulas presenciais.

Ao fim do recesso, os alunos e docentes retornaram às atividades; os primeiros com os conteúdos a distância do “Aula em Casa” e os segundos em regime de teletrabalho, em acompanhamento e suporte aos estudantes e familiares. O projeto teve o engajamento de 60% dos alunos e 97% dos professores.

Assistência educacional

“São três meses de uma estratégia arrojada, que a prefeitura assumiu para levar o mínimo de assistência educacional aos nossos alunos, obrigados a parar de frequentar as escolas por conta da pandemia. Toda essa ação só foi possível pela confiança do prefeito Arthur no nosso trabalho, durante todos esses anos, da dedicação dos professores e de já trabalharmos de forma organizada, com uma gestão compartilhada e integrada na Semed”, destacou a secretária municipal de Educação, Kátia Schweickardt.

Enquanto a rede estadual já contava com atividades gravadas para as turmas do 6º ao 9º ano, a Semed entrou na parceria com a produção “do zero” de material para as turmas do 1º ao 5º ano do ensino fundamental; assim como as atividades para a educação infantil, por meio do programa “Eba! Vamos Brincar!”. O processo inicial, entre a definição dos conteúdos e gravação das aulas, durou pouco mais de duas semanas.

“A Seduc contava com 13 anos de experiência, enquanto nós tivemos que rapidamente nos organizar para produzir aulas para os anos iniciais. Convidamos professores, que se dispuseram a estar conosco, a criar, organizar e usar toda a criatividade para poder oferecer aulas, via TV e internet. Por isso, gostaríamos de agradecer ao trabalho de cada educador, que enfrentou esse desafio. Sem experiência, fomos usando criatividade, trabalho e boa vontade de desenvolver todo esse processo. E o resultado são três meses de muito sucesso”, disse a subsecretária de Gestão Educacional da Semed, Euzeni Araújo.