Dono de peixaria em Manaus tenta fugir da prisão após furto de energia

Por Portal do Holanda

25/08/2020 13h12 — em Amazonas

Foto: Divulgação

Manaus/AM - O responsável pelo restaurante Cacique Peixaria, localizado na avenida Solimões, bairro Distrito Industrial I, zona Sul de Manaus, tentou impedir o trabalho de técnicos da concessionária  Amazonas Energia durante inspeção que detectou furto de energia no estabelecimento. Essa informação foi emitida nesta terça-feira (25), por meio de Nota de Esclarecimento da concessionária.

Segundo a Amazonas Energia, o dono do estabelecimento se recusou a cooperar, precisando a polícia ser acionada para garantia da ordem. Após ser confirmado o flagrante de desvio de energia o proprietário do restaurante fugiu do local quando foi dada voz de prisão. A concessionário afirma que vai tomar as medidas cabíveis para responsabilizar os envolvidos no furto de energia. O caso ocorreu na última quinta-feira (20). 

Veja a nota completa da concessionária: 

Após recentes veiculações, a Amazonas Energia esclarece que, por volta das 15h da última quinta-feira (20), a equipe da Amazonas Energia dirigiu-se ao restaurante Cacique Peixaria, localizado à Avenida Solimões, bairro Distrito Industrial I, Zona Sul de Manaus, para realizar inspeção em medidor externo. O proprietário do local se recusou a cooperar, na tentativa de frustrar a operação. A polícia foi acionada para acompanhar a situação e garantir a ordem, não havendo qualquer ilegalidade cometida por parte desta empresa. O proprietário da Peixaria se evadiu do local, à noite, no momento em que se caracterizou o flagrante de furto de energia e a voz de prisão fora dada pela polícia. A Amazonas Energia tomará as providências para responsabilização de todos os envolvidos na ocorrência.

Por fim, a Amazonas Energia informa que intensificará a realização de inspeções, para garantir a segurança das instalações e da população, bem como para fazer cumprir a lei, em respeito aos bons clientes que pagam regularmente suas contas. O furto de energia aumenta o custo aos que pagam suas contas, rigorosamente.

A peixaria também se manifestou em nota sobre o ocorrido e acusa a concessionária de perseguição:

A Peixaria Cacique vem a público esclarecer a verdadeira perseguição desde o mês de maio do ano em curso por parte da empresa AMAZONAS ENERGIA, no período da Pandemia, a AMAZONAS ENERGIA quando estava impedida de fazer cortes no fornecimento de energia e mesmo assim, uma equipe esteve presente na peixaria para realizar um corte decorrente de contas passadas que nem eram de sua titularidade, mesmo assim, com o atendimento presencial suspenso, e o atendimento online precário, a concessionária impôs várias exigências, quase impossível de viabilizar naquele momento caótico, a peixaria denunciou um pedido de suborno por não pactuar com essa conduta, logo em seguida recebeu uma multa descabida e exorbitante no importe de 120 mil reais, e teve seus fios cortados em vários pedaços. O recurso administrativo não foi aceito sob alegações de que não foi protocolado na sede e sim por meio eletrônico, o processo já está em litígio.

No último dia 20 de agosto, a Concessionária de Energia esteve presente no restaurante sem nenhuma ordem de Serviço ou inspeção, sem ordem judicial alguma, para interromper o fornecimento de energia no horário de funcionamento do restaurante, momento este, que a própria advogada representante da Amazonas Energia sugeriu que o titular da conta de energia Sr. Edyssandro, fosse a empresa para negociar o débito, que a mesma autorizaria o protocolo do Recurso Administrativo. Enquanto o mesmo estava na sede da empresa, os advogados e prepostos da Amazonas Energia fizeram verdadeiro terrorismo com os funcionários, incluindo uma grávida, sob ameaças de corte da energia do estabelecimento, a ponto dos próprios clientes se incomodarem com a atitude arbitrária projetando um clima de desordem pública com a única intenção de serem vitimados e receberem proteção da guarnição do Estado que acionaram mais de 4 viaturas, após as 18h quando a Advogada da Peixaria Cacique chegou no local que buscou a solução do conflito, solicitou que a empresa retornasse no dia seguinte para realizar inspeção tendo em vista que já se passavam das 18h e o titular da conta ainda estava na sede da Amazonas energia realizando o parcelamento, mesmo assim a Amazonas energia por meio de seus prepostos se fizeram irredutíveis. Enquanto todos estavam na expectativa do retorno

do Sr. Edyssandro com as contas pagas e o recurso protocolado, quando o mesmo regressou quase as 20h, fomos surpreendidos pela negativa do recurso, posto que a Advogada gerente do Comando de Operações Especiais COE, Nathalia Pimentel não autorizou o protocolo do recurso, e o titular da conta então disse que pelo avançar da hora e por tantos desgastes, só autorizaria a inspeção com ordem judicial, quando então, a polícia mais uma vez saiu empurrando os funcionários da peixaria para dar proteção aos prepostos da AMAZONAS ENERGIA, subir para fazer a referida inspeção. Vale ressaltar que a guarnição da Polícia Militar já estava fora do horário de serviço, que encerrava as 19h. Desta forma, a empresa Amazonas Energia, agiu com arbitrariedade no exercício de suas próprias razões e a Polícia Militar de forma imparcial, desmedidamente deu guarnição ao particular, sem qualquer medida judicial que contemplasse tal operação fora do horário.

A inspeção ocorreu na presença dos Advogados das empresas envolvidas, em hipótese alguma houve decretação de prisão ao titular da conta, nem flagrante de possível furto de energia, até porque, não havia nenhum engenheiro perito para constatar possíveis irregularidades ou furto de energia. De toda forma, a proprietária da empresa que abaixo subscreve , se fez presente no 14® DIP, para prestar esclarecimentos, conduzida pelo tenente responsável da guarnição, que foi dispensada pelo delegado plantonista, por falta de elementos que justificasse o possível flagrante!

A PEIXARIA CACIQUE é uma empresa idônea que preza pela moral e os bons costumes, legalizada frente a todos os órgãos fiscalizadores, Municipais e Estaduais, não tem nada que macule a honra e a integridade dos seus gestores ou funcionários, jamais permitirá uma mancha em sua marca e no momento oportuno tudo será esclarecido nas vias judiciais.


+ Amazonas