Campanha contra o HIV/Aids tem como foco o combate ao preconceito

Por Portal do Holanda

25/11/2014 16h03 — em Amazonas

O município de Manaus registrou este ano, de janeiro a novembro, 1.102 casos de HIV/Aids. O número já é maior do que o registrado em 2013, quando foram diagnosticados 1.092 novos casos de HIV, representando um aumento de 31,4% em relação ao ano de 2012.

Os dados são da Semsa, que iniciou esta semana uma série de ações da Campanha de Combate ao HIV/Aids, referente ao Dia Mundial de Luta contra a Aids (1º de dezembro. A data foi instituída pela ONU com o objetivo de chamar a atenção para a prevenção à doença e reforçar a solidariedade, a tolerância e a compreensão em relação às pessoas que vivem com o HIV/Aids.

O secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão, explica que a data foi instituída também como uma tentativa de superar o preconceito e a discriminação contra pessoas que vivem com Aids. “O preconceito contra a doença é um dos fatores que dificultam as ações de prevenção e de diagnóstico precoce, consequentemente aumentando as chances de transmissão da doença” informa Leão.

A enfermeira Adriana Souza, explica que o aumento de registro de casos não significa necessariamente que houve um aumento no índice de transmissão da doença, já que a Prefeitura de Manaus, a partir de 2013, passou a ampliar as ações de diagnóstico precoce da doença, implantando o teste rápido para HIV em 57 UBSs. Em janeiro de 2013, apenas três UBSs ofereciam o teste rápido.

“Aumentando a rede de diagnóstico é possível detectar precocemente a doença, iniciar o tratamento de forma imediata e quebrar a cadeia de transmissão. É importante ressaltar ainda que, até o ano de 2013, eram registrados apenas os casos de Aids, quando os sintomas da doença já estão se manifestando. Em 2014,  passou-se a registrar os casos de HIV positivo, o que permite um melhor estudo sobre a epidemia, mas também produz um maior registro no número de casos”, informa Adriana Souza.

Campanha

Um dos focos das ações da Campanha de Prevenção é o combate ao preconceito das pessoas que vivem com o HIV, assim como a discriminação contra gays, travestis e transexuais, estigmatizados como os responsáveis pela transmissão e infecção pelo HIV.

“É necessário orientar a população de que a Aids é a ‘doença de todos’ e que, dependendo do comportamento de risco assumido, qualquer indivíduo pode ser infectado pelo vírus. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a categoria de maior exposição é de pessoas heterossexuais”, explica Adriana Souza.

A faixa etária com maior número de casos registrados continua sendo a população jovem e economicamente ativa, entre 20 e 34 anos (59,4%), porém há registro de aumento na faixa etária de 15 a 19 anos. O sexo masculino ainda é o mais acometido (75,2%).

Em Manaus, foram registrados em 2014, de janeiro a novembro, 16 casos de Aids em crianças menores de cinco anos, aumento de 58,7% em relação a 2013 (sendo necessários até 18 meses para fechar o diagnóstico em crianças), e 132 casos de gestante com HIV, com redução de 46% em relação ao mesmo período de 2013 (janeiro a novembro).

As atividades da Campanha seguirão até o dia 1º de dezembro. Durante esse período, as Unidades de Saúde da rede municipal estarão realizando atividades de prevenção com palestras, rodas de conversa, distribuição de insumos de prevenção (preservativos masculinos e femininos, gel lubrificante) e ampliação da oferta de teste rápido para detecção do HIV.

A Semsa também estará promovendo a I Corrida contra o Preconceito, no dia 30 de novembro, às 16 horas, na Ponta Negra. Foram inscritos 1.200 competidores. Durante o evento, haverá a disponibilização de serviços de educação em saúde, promoção de hábitos de vida saudável, atividades físicas, atividades lúdicas (para as crianças), ações voltadas aos jovens (grafitagem, roda de conversa) e oferta do teste rápido para o HIV, trabalhando a prevenção dos vários agravos e o diagnóstico precoce.

A programação será realizada em parceria com instituições como Fórum ONG/Aids, Projeto Galera Nota 10, Associação Garotos da Noite, Associação Orquídeas, Aliança LGBT, APGAY, Rede Nacional de Adolescentes e Jovens Vivendo com HIV/Aids, RNP+ AM, Coordenação Estadual de DST/Aids/HIV, Departamento Nacional de DST/Aids/HIV, Semjel, Semed, Manauscult, Manaustrans, I, Polícia Militar do Amazonas, SAMU, Fundação Vila Olímpica do Amazonas, Semulsp, Federação Amazonense de Atletismo, Editora Abril.