21 homicídios em menos de 24h em Manaus serão investigados; policiamento será reforçado

Por Portal do Holanda

19/07/2015 8h56 — em Amazonas

Os 21 homicídios e 9 tentativas de homicídio que aconteceram durante a noite de sexta-feira (17) e a tarde de sábado (18), serão investigados pela Secretaria de Segurança Pública do Amazonas, declarou o secretário Sérgio Fontes, durante reunião com autoridades policiais. 

"Quem quer que esteja por trás desses eventos será identificado, localizado e preso", afirmou Sérgio, que acrescentou que os indícios são de que o mesmo grupo tenha cometido tais crimes, podendo ter ligação com o asssassinato do sargento PM Afonso Camacho Dias.

A outra hipótese é que as mortes sejam por conta de brigas de facções criminosas dentro e fora de presídios. "As brigas entre as organizações criminosas não se limitam ao muro dos estabelecimentos prisionais. Infelizmente é muito comum elas virem para fora desses muros. Pode ser isso. Pode ser vingança? Pode", disse.  "Tivemos a morte do nosso Sargento Camacho, uma tragédia para a família policial. Depois disso tivemos 21 mortes. Dessas 21 mortes, aproximadamente, quatro já têm identificação. Foram brigas de bar, ou seja, têm a identificação conhecida. O resto há indicação de que foi uma ação orquestrada. A gente tem relatos de que teria sido o mesmo carro e a mesma moto. Ou seja, um grupo em duas motos e um carro tenha feito esses homicídios, e mais algumas tentativas de homicídios que ainda estão nos hospitais de Manaus. Em torno de nove tentativas de homicídio", afirmou.

Fontes informou que armas ponto 40, de uso restrito da polícia, foram utilizadas nas mortes. "É um indicativo. Não estou descartando essa linha de investigação, pode ter sido utilizada por policiais sim, mas eu não quero fazer nenhum juízo enquanto não tiver o final da investigação", disse. "Temos que dar resposta para todas as mortes ocorridas durante essa madrugada. Não descartaremos nenhuma possibilidade de investigação".

Neste final de semana, a Polícia Militar irá intensificar as ações nas ruas, com um efetivo de 700 policiais monitorando as ruas da cidade, afirmou o comandante da PM, Gilberto Gouvêa.