Ex-delegado Sotero é condenado a 30 anos de prisão por morte de advogado

Por Portal do Holanda

29/11/2019 19h37 — em Amazonas

Foto: Caio Guarlotte / Portal do Holanda

Manaus/AM -  Em julgamento finalizado nesta sexta-feira (29), no Fórum Henoch Reis, o júri popular condenou o ex-delegado Gustavo Sotero por homicídio qualificado do advogado Wilson Justo Filho, na casa de shows Porão do Alemão, na zona Oeste de Manaus, em novembro de 2017.

A pena foi fixada em 30 anos e 2 meses de prisão, além da perda do cargo de delegado.  

Retomado na quarta-feira, todo o julgamento foi marcado por polêmicas e discussões acaloradas entre promotoria e defesa, sendo necessária nesta sexta-feira a intervenção do juiz para acalmar os ânimos.

A defesa alegou que Wilson e Alexandre Mascarenhas teriam "atacado" o delegado Sotero, e que ele teria "vantagem" na luta corporal por ser fisicamente forte. Já a acusação utilizou as imagens de câmeras de segurança e também explicações sobre técnicas de tiro para apontar que Sotero agiu intencionalmente, mirando nos alvos,  assumindo para si os riscos de suas ações.