Chacina revela precariedade da gestão dos presídios do AM

Por Portal do Holanda

20/04/2021 13h07 — em Chacina no Compaj

Foto: Divulgação /  Mutirão carcerário analisou situação dos presos

A forma como aconteceu a chacina no Compaj e o tempo levado para uma intervenção das forças de segurança mostraram a precariedade da atuação da empresa Umanizzare, contratada pelo Governo do Estado por R$ 5 milhões mensais para administrar os presídios do Estado. Cada preso custava em média R$ 4,7 mil mensais, praticamente o dobro da média do País na época.

Mas as mortes de 119 homens em um intervalo de duas semanas, em massacres em cadeias de três Estados, não foram suficientes para o governo dar um choque de gestão no sistema penitenciário.

As condições do presídio permaneceram as mesmas, o que só servia para fortalecer as facções, permitindo o avanço da violência nas ruas de Manaus naquela época.  

MUTIRÃO

Uma das medidas adotadas pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) para buscar esfriar o clima nos presídios e evitar mais mortes foi anunciar um mutirão carcerário para análise da situação dos presos provisórios nas Cadeias Públicas do Amazonas.

O desembargador Flávio Pascarelli fez o comunicado informando que, dos cerca de 12 mil presos existentes na época, 70% eram provisórios, ou seja, não tinham ido a julgamento.

A medida visava acelerar os julgamentos e desafogar o sistema prisional, caso parte desse contingente ganhasse liberdade. 

Seriam realizadas audiências de custódias, nas quais o acusado era apresentado ao juiz, ouvidas as manifestações do Ministério Público, da Defensoria Pública ou do advogado do preso, em seguida o magistrado avaliava, sob o aspecto da legalidade, a necessidade da continuidade da prisão ou a concessão de liberdade.

 

Veja a lista de mortos no Compaj

Alessandro Nery Praia

Alex Almeida da Silva

Alcinei Gomes da Silveira

Antônio Correia  Muniz Neto

Antony Aguiar Muniz

Arthur Gomes Peres Júnior

Dheick da Silva Castro

Edney Gomes Ferreira

Errailson Ramos de Miranda

Frank Ronier Fereira Reis

Felipe de Oliveira Carneiro

Felipe Mateus Silva do Nascimento

Francinaldo Ferreira Santana

Francisco Pereira Pessoa Filho

Gilson Thiago Pereira Melo

Gezildo Nunes da Silva

Heder de Souza Pereira

Huederson Paulino de Melo

Jackson de Oliveira Avelino

Jander de Andre Maciel

Joniarlison Feitosa dos Santos

José Aldinei da Silva Leal

Josenildo Alves Ferreira

Kayro Silva de Souza

Erick Queiroz da Silva

Lenilson Carlos Calixto Pires

Linekim Marinho de Silva

Lucas Alves de Souza

Luiz Otávio Sampaio de Almeida

Maelson Augusto Barbosa da Costa

Machel Bruno de Souza Barros

Marcelo de Souza Lima

Marcos Frederico Gomes Rocha da Costa

Magaiwer Vieira Rodrigues

Malon de Araujo da Silva

Manoel Freitas Barros

Michel Wendel Melgueiro da Costa

Moacir Jorge Pessoa da Costa

Paulo César Silva Guimarães Filho

Paulo Henrique Lima dos Santos

Paulo Marcelo Santos Nascimento

Pedro Henrique Alves de Souza

Rafael Brazão Gonçalves

Rafael Moreira da Silva

Raijean da Encarnação Medeiros

Renato Maciel do Nascimento

Robson Souza da Costa

Rômulo Harley Da Silva

Romulo Fernandes da Silva

Ronei Pinheiro Filgueira

Sebastião Ribeiro Marinho Filho

Wendel Francisco de Souza Esquerdo

Willamys Silva de Souza

 


O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.