Acusados de liderar chacina são transferidos para presídios federais

Por Portal do Holanda

20/04/2021 12h36 — em Chacina no Compaj

Foto: Divulgação /  Imagens de câmeras do circuito interno da penitenciária foram usadas para investigação

Após o controle da chacina, os líderes foram ouvidos pela 2.ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Manaus, acompanhados pelo Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM) representado pela promotora de justiça Elizandra Leite Guedes de Lira e pela Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM), que atuou com os defensores Ellen Cristine Alves de Melo e Maurílio Casas Maia.

Depois dos depoimentos, escoltados por policiais do 1º Batalhão de Choque da Polícia Militar, os 17 detentos suspeitos de serem os líderes do massacre no Compaj foram transferidos, na manhã do dia 11 de janeiro, para presídios federais, após realização de exames de corpo de delito

A aeronave da Polícia Federal responsável pelo transporte dos presos deixou o Aeroporto Internacional Eduardo Gomes por volta das 12h45. Entre os detentos transferidos, estava Márcio Ramalho Diogo, conhecido como “Garrote”, apontado como o “xerife” do Compaj e um dos líderes do massacre.

De acordo com a Polícia Federal, ‘Garrote’ era um dos líderes da facção criminosa Família do Norte (FDN) e seria o responsável por aplicar as penalidades aos demais presos de acordo com as regras da facção. 

Imgens do circuito interno viralizaram nas redes sociais

CRIMES QUALIFICADOS

Os líderes do movimento respondem criminalmente pelas mortes dos 56 detentos e as imagens de câmeras do circuito interno da penitenciária seriam usadas nas investigações, assim como seriam colhidos depoimentos de presos e agentes penitenciários do presídio.

A Ação Penal do Compaj começou com 213 réus, mas sete morreram durante a instrução e depois disso, 206 respondem pela autoria de 56 homicídios qualificados; seis tentativas de homicídios; 46 vilipêndios de cadáveres; tortura em 26 vítimas e organização criminosa.

Familiares dos detentos lotaram o Aeroporto Eduardo Gomes desde a manhã do dia 11 para se despedirem.

Na lista dos transferidos estavam os seguintes presos e as respectivas causas da detenção:

1.Adailton Farias da Silva (Compaj) – Homicídio
2.André Said de Araújo (Compaj)  – Tráfico de drogas, associação para o tráfico e roubo
3.Cláudio Dayan Felizardo Belfort (Compaj) –  Tráfico de drogas, roubo, e posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito
4.Demetrio Antônio Matias (Compaj) – Homicídio
5.Eduardo Queiroz de Araújo (UPP) - Tráfico de drogas e associação para o tráfico
6.Fábio Palmas de Souza (Compaj) – Homicídio e Tráfico de drogas
7.Florêncio Nascimento Barros (Compaj) – Roubo
8.Gileno Oliveira do Carmo (Compaj) – Tráfico de drogas
9.Heuliton Cabral dos Santos (UPP) -  Tráfico de drogas e associação para o tráfico
10.Janes do Nascimento Cruz (Compaj) – Tráfico de drogas e associação para o tráfico
11.João Ricardo Santos da Costa (Compaj) – Tráfico de drogas
12.José Bruno de Souza Pereira (Compaj) – Latrocínio
13.Lenon Oliveira do Carmo (UPP) - Tráfico de drogas e associação para o tráfico
14.Márcio Ramalho Diogo (Compaj) –  Roubo e Tráfico de drogas
15.Reginaldo Muller Neto (Compaj) – Tráfico de drogas
16.Rivelino de Melo Muller (Compaj) – Tráfico de drogas
17.Wilson Guimarães Fernandes (Compaj) - Homicídio


O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.