Vídeo mostra várias agressões de embaixadora filipina contra doméstica

Por Portal do Holanda

26/10/2020 11h11 — em Brasil

Marichu puxa as orelhas da doméstica e a sacode - Foto: Divulgação

Um vídeo divulgado nesse domingo (25), mostra o momento em que Marichu Mauro, a embaixadora das Filipinas no Brasil agride uma mulher de 51 anos que trabalha como empregada doméstica em sua casa que fica dentro da embaixada.
As imagens foram gravadas pelo circuito interna de segurança e vieram à público depois de um funcionário da instituição ter testemunhado um dos episódios. Após o fato, ele decidiu fazer uma varredura nas gravações e encontrou várias outras cenas como a que presenciou. Nelas Marichu ataca e espanca a funcionária que também é filipina em pelo menos quatro ocasiões.

 

 

Na primeira, em março deste ano, ela puxa estapeia a conterrânea, mas disfarça e cessa as agressões quando percebe a chegada de outro funcionário. A segunda ocorreu em agosto, ambas tentavam consertar uma porta e em certo momento, quando a doméstica se abaixou perto da maçaneta teve as orelhas puxadas com força pela diplomata.

O terceiro caso ocorreu apenas 15 dias depois, na ocasião, Marichu avança sobre a mulher e tenta beliscá-la. A vítima se protege com os braços e de repente tem a máscara arrancada do rosto. A quarta situação é ainda mais revoltante. Ela ocorreu no dia 15 de outubro e mostra a embaixadora puxando as orelhas da empregada e batendo nela com um guarda-chuvas.

Marichu está no Brasil há cerca de dois anos, a funcionária chegou apenas alguns meses depois e segundo a testemunha, a mulher mudou comportamento completamente. O homem afirma que ela emagreceu, se tornou uma pessoa triste, oprimida e mantém o olhar todo o tempo baixo. E    la deixou o país na última quarta-feira (21), depois que o caso foi oficializado junto às autoridades brasileiras.

A embaixadora por sua vez caiu nas graças dos governantes, e chegou a ser condecorada pelo presidente Jair Bolsonaro. O crime de maus-tratos conta a empregada foi levada ao Ministério Público, mas a polícia brasileira não pode interferir no caso porque por ser embaixadora, Marichu tem imunidade diplomática e não pode ser presa ou processada. Ela só ficaria sujeita às leis locais, caso o Governo Filipino desse tirasse a imunidade dela. Outra opção para o Brasil seria considerar Mauro “persona não grata” e expulsá-la do país, medida que é considerada extrema e só é posta em prática em último caso.