Bastidores da Política - Operação que prendeu criminosos do CV em Manaus é mérito da Polícia do Rio


Operação que prendeu criminosos do CV em Manaus é mérito da Polícia do Rio

Por RAIMUNDO DE HOLANDA

18/06/2021 19h13 — em Bastidores da Política

  • Que o Comando Vermelho montou um entreposto em Manaus, que utilizava empresas de fachada para lavar dinheiro, que domina a rota do tráfico no rio Solimões e faz negócios com as Farcs colombianas, não é um fato novo. Faltava uma investigação séria, mas essa tarefa coube à polícia do Rio de Janeiro.

A inteligência da Secretaria de Segurança do Rio de Janeiro identificou a presença de líderes do Comando Vermelho em Manaus. A operação desta sexta-feira, com a prisão de vários criminosos, é mérito da polícia carioca. E se tem que ser comemorada, não põe  fim a uma curiosa indagação: por que o Comando Vermelho se rebelou contra instituições do Estado do Amazonas e fez os órgãos de segurança reféns por dois dias consecutivos, durante uma série de atentados a ônibus, bancos, igrejas, escolas, sem uma reação à altura das autoridades locais? A morte de um de seus membros? Provavelmente sim, mas o comando indicava quebra de acordos, inclusive apontando o dedo para a principal autoridade da segurança do Estado. Em nenhum momento essa versão foi contestada oficialmente pelo governo do Amazonas.

Que o Comando Vermelho montou um entreposto em Manaus, que utilizava empresas de fachada para lavar dinheiro, que domina a rota do tráfico no rio Solimões e faz  negócios com as Farcs colombianas,  não é um fato novo. Faltava uma investigação séria, mas essa tarefa coube à polícia do Rio, mais preparada, que nesta sexta-feira deu uma lição ao governo do Amazonas.

O que não se sabia, mas se suspeitava, era que soldados do Comando Vermelho recrutados em Manaus para atuar no tráfico de drogas na região eram treinados nos morros do Rio. A ordem para os ataques terroristas da primeira semana deste mês em Manaus partiu do Rio, onde a organização criminosa montou seu bunker.

Não é de todo improvável que o CV acabe deixando os morros cariocas para se instalar com todo o seu comando em Manaus.

E este um alerta para as autoridades,  que ou se preparam para evitar que isso aconteça  ou será difícil evitar o domínio da cidade por essa organização criminosa, com crescente violência, descontrole administrativo e mortes.

As razões parecem óbvia: o Estado do Amazonas tem um sistema de segurança multifacetado, não há uma liderança ou há  múltiplas lideranças, a disciplina é  escassa e a política acabou por desfigurar uma instituição centenária, a Polícia Militar. Fora  o fato de que o mapa da cidade de Manaus  "avermelhou" nos últimos meses…

Outro fator importante, que favorece a ação do CV e seu interesse por Manaus, e que precisa de uma séria avaliação dos órgãos de segurança, é que o  rio Negro, que margeia  a cidade,  se mistura ao  Rio Solimões a 1.000 metros do centro histórico. 

É a principal rota do tráfico que vem da tríplice fronteira. E as favelas já são dominadas pelo grupo criminoso, que uniformizou  parte de seus habitantes com  a camisa de um famoso time carioca, para identificar não apenas seus membros, mas moradores amedrontados que ficaram sob sua "proteção", depois de um grande vácuo deixado pelo Estado....

Raimundo de Holanda é jornalista de Manaus. Passou pelo "O Jornal", "Jornal do Commercio", "A Notícia", "O Estado do Amazonas" e outros veículos de comunicação do Amazonas. Foi correspondente substituto do "Jornal do Brasil" em meados dos anos 80. Atualmente escreve a coluna Bastidores no Portal que leva seu nome.