Bastidores da Política - Omissão, descaso e mortes por Covid 19 na cidade de  Manaus


Omissão, descaso e mortes por Covid 19 na cidade de Manaus

Por RAIMUNDO DE HOLANDA

09/01/2021 20h37 — em Bastidores da Política

O noticiário tornou-se repetitivo: hospitais lotados, novas 1.856  infecções por Covid, falta de leitos e 43 mortes somente na sexta-feira. Muito pouca coisa ou nada se fez diante da perspectiva real de uma segunda onda de coronavírus e o resultado não poderia ser mais desalentador. A pandemia matou nos últimos 8 meses 5.669 amazonenses. Essa é  uma tragédia humana sem precedentes na história de um Estado  que deveria estar preparado para esse tipo de evento, e de uma cidade que concentra a oitava economia do País.

Mas é um evento Global. De fato, entretanto atinge mais a cidade de Manaus e suas repercussões são negativas pelo imobilismo que houve a partir da primeira onda. O  que está acontecendo agora não   se pode  esperar solucionar com a vacina.  Vacina previne, mas não esgota o potencial de vírus já  circulante. É preciso mais ação da Prefeitura de Manaus e do Estado do Amazonas e vimos advertindo isso insistentemente.

Hospital   de campanha em Manaus não é de campanha, não é de lona, é feito de pedra, espaço já aberto. O que se precisa  é do óbvio: ajuda do Exército para erguer esses barracões de lona nas zonas da cidade,  fazer triagem em áreas mais endêmicas e estabelecer o toque de recolher em alguns bairros.  Ou se faz isso agora ou o depois será uma nova tragédia...

Raimundo de Holanda é jornalista de Manaus. Passou pelo "O Jornal", "Jornal do Commercio", "A Notícia", "O Estado do Amazonas" e outros veículos de comunicação do Amazonas. Foi correspondente substituto do "Jornal do Brasil" em meados dos anos 80. Atualmente escreve a coluna Bastidores no Portal que leva seu nome.