Bastidores da Política - Hora do pesadelo ainda nem chegou na cidade devastada pela Covid 19


Hora do pesadelo ainda nem chegou na cidade devastada pela Covid 19

Por RAIMUNDO DE HOLANDA

08/01/2021 20h04 — em Bastidores da Política

Mesmo que a vacina da Coronavac ou de outro laboratório comece a ser aplicada  ainda em março ou abril,  a possibilidade levantada pelo cientista do Inpa,  Lucas Ferrante, de que antes disso ou durante o processo de vacinação já esteja instalada a terceira onda de Covid 19 em Manaus, com reinfecções por novas cepas ou variantes do coronavírus, é assustadora.  A prevenção é a saída, como diz o cientista, fechando escolas, academias, confinando o máximo possível de pessoas para evitar aglomerações,  endurecendo o lockdown já aplicado. O preço politico para quem não adotar medidas radicais de confinamento  pode ser alto: fim de carreira, acusações de omissão e um legado de mortes que ninguém deseja carregar. Para a população, mais sofrimento.

Mapear a cidade de Manaus, construindo hospitais de campanha - de lona mesmo - agindo para  quebrar  a propagação do vírus tem que começar agora, sob o sério risco de vermos gente morrendo nas ruas, sem assistência porque já está faltando vagas nos hospitais.

A hora é do improviso. E improvisar bem  para que gestões administrativas tomadas em caráter emergencial  em relação a propagação da  Covid 19 tenham sucesso nessa empreitada, que é o maior desafio das administrações do Estado do Amazonas  e do município de Manaus neste momento.

Caso se confirmem as previsões do cientista - que já havia contestado em maio a tese da imunidade de rebanho no Amazonas - a hora do pesadelo ainda não passou.