Bastidores da Política - DENÚNCIA NO STJ: Governador do Amazonas aposta em pedido de vista para estender mandato até 2022


DENÚNCIA NO STJ: Governador do Amazonas aposta em pedido de vista para estender mandato até 2022

Por RAIMUNDO DE HOLANDA

24/06/2021 19h01 — em Bastidores da Política

  • Os pedidos de vista não visam, em grande parte, uma análise detalhada da denúncia, ou objetivam detectar seus vícios. São, na sua maioria, uma retenção de direitos...

A denúncia criminal contra o governador do Amazonas, Wilson Lima, volta a pauta do Superior Tribunal de Justiça no dia 30. O governador aposta em um pedido de vista, que pode empurrar o julgamento para agosto, já que o recesso forense tem inicio na próxima segunda-feira, 3 de julho.

O julgamento já havia sido adiado em 2 de junho, depois de um bate-boca entre membros da Corte e o relator, ministro Francisco Falcão.

Wilson é ousado e tem videntes que apontam para uma sobrevida no cargo para além de 2022, a custa da credibilidade de uma justiça com  viés politico e afeita a pressões de todos os lados.

Os tribunais brasileiros são informais, dispensam regras e nem sempre contemplam o que se aprendeu a conhecer como “justiça”.

Os pedidos de vista não visam, em grande parte, uma análise detalhada da denúncia, ou objetivam detectar seus vícios. São, na sua maioria,  uma retenção de direitos...

Há uma clara divisão no STJ em relação ao caso do governador do Amazonas, apesar de um precedente: a denúncia contra o ex-governador do Rio, Wilson José Witzel , afastado de forma monocrática do cargo, decisão em seguida chancelada por unanimidade pelo pleno do tribunal.

Não há muita diferença entre os crimes praticados pelos dois Wilson. O do Rio envolvia mais recursos, o escritório da mulher participava  do esquema de corrupção.

No caso do  Amazonas,  a SubProcuradora Geral da República, Lindôra Araújo,   acusa o Wilson de peculato (desvio de recursos públicos) e de ser o cabeça de uma organização criminosa que faturava com a compra de respiradores.

A diferença entre os crimes dos dois Wilson é pequena, quase inexistente, Fisicamente, um é careca, ex-juiz, bem mais velho. O outro com nada na cabeça, bem mais jovem, mas com uma blindagem espetacular, apesar de seu perfil tímido, de sua insegurança, de sua aparente fragilidade.  Mas quem tem grupo no Brasil e a simpatia do presidente Bolsonaro, não fica na mão…

A esperança é que os ministros cumpram seu dever de julgar o caso no dia 30, aceitando ou rejeitando a denúncia, Se necessário, aplicando as mesmas regras aplicadas ao caso do Rio de Janeiro, afastando o governador pelo prazo que, nestes casos, a lei estipula.

Raimundo de Holanda é jornalista de Manaus. Passou pelo "O Jornal", "Jornal do Commercio", "A Notícia", "O Estado do Amazonas" e outros veículos de comunicação do Amazonas. Foi correspondente substituto do "Jornal do Brasil" em meados dos anos 80. Atualmente escreve a coluna Bastidores no Portal que leva seu nome.