Bastidores da Política - 2020, um ano de duras lições e nenhum aprendizado


2020, um ano de duras lições e nenhum aprendizado

Por RAIMUNDO DE HOLANDA

26/12/2020 3h37 — em Bastidores da Política

O ano de 2020 caminha para o encerramento com duras lições. De um lado um vírus que assusta  e para “combatê-lo"  colocamos no meio da ciência  política e ideologia, enquanto ele mata milhares de brasileiros.  De outro, nossa incapacidade  de aprender a lidar com nós mesmos, com nossa natureza, com nossos medos, com a perspectiva de perda.

Sequer aceitamos as diferenças - de cor, gênero, gosto, opinião. Para tudo se cria uma lei - lei do assédio, lei da importunação - mas a mulher fica cada vez mais vulnerável.

Tudo o que deveria ter sido feito e ainda não se fez foi melhorar a educação, preparar os casais do  futuro  para relações amigáveis, para a  compreensão de que o outro é um mundo a parte, com direitos, expectativas e  sonhos.

Ainda somos um país que alimenta as diferenças e que ainda não incluiu o negro como cidadão. Ou não trabalhou para que ele  se orgulhasse da cor que tem.

Vai demorar para o negro compreender que o sofrimento de seus ancestrais é  o passaporte para um futuro a ser construído. E que a igualdade só chegará com a educação.

Nesse dia, seremos capazes de conviver como irmãos, aceitar que a esposa de agora pode ser uma ex- companheira amanhã, mas não uma inimiga. E repudiaremos a ideia de tornar nossos filhos órfãos.

Nesse dia a ciência vai combater as pandemias e política e ideologia serão colocadas num cesto comum, no cesto do lixo. E nunca mais elegeremos um celerado para comandar o país. Esse dia está longe. Vai demorar gerações…  Mas vai chegar.