Por 12 votos a 6, deputados arquivam pedido de impeachment do governador Wilson Lima

Por Portal do Holanda

06/08/2020 15h50 — em Amazonas

Foto: Reprodução

Manaus/AM - O pedido de impeachment do governador Wilson Lima (PSC) e do vice-governador Carlos Almeida (PTB) foi arquivado nesta quinta-feira (6), durante votação no Plenário da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) nesta tarde. O arquivamento foi aprovado por 12 votos favoráveis, com seis votos contrários e cinco abstenções.

Votaram pelo arquivamento do impeachment os deputados Abdala Fraxe, Adjuto Afonso, Alessandra Campêlo, Augusto Ferraz, Belarmino Lins, Alcimar Maciel, Carlinhos Bessa, Francisco Gomes, Joana Darc, Roberto Cidade, Therezinha Ruiz e Saullo Viana.

Os que votaram contra o arquivamento foram os deputados Álvaro Campelo, Dermilson Chagas, Péricles Nascimento, Josué Neto, Serafim Correa e Wilker Barreto. 

Se abstiveram de votar os deputados Fausto Junior, João Luiz, Sinésio Campos, Ricardo Nicolau e Felipe Souza. A deputada Mayara Pinheiro estava ausente na votação. 

Os deputados aprovaram o parecer da Comissão Especial do Impeachment que decidiu pelo arquivamento do pedido representado pelo médico Mário Vianna e pela médica Patrícia Sicchar, respectivamente o presidente e secretária-geral do Sindicato dos Médicos do Amazonas (Simeam). 

Discussão 

Antes da votação, alguns deputados de oposição e da base do governo se pronunciaram na Tribuna da Aleam. O deputado Péricles Nascimento (PSL) foi o primeiro a defender o não arquivamento do pedido de impeachment, não concordando com o relatório da comissão que em seu entendimento foi aprovado de forma apressada. 

O deputado Belarmino Lins (Progressistas) defendeu o governo e pediu o arquivamento do impeachment. O deputado Dermilson Chagas (Podemos), de oposição, também pediu pela rejeição do parecer da comissão afirmando que não se levou em consideração as acusações de crimes praticados pelo governo durante a pandemia que gerou a operação Sangria, da Polícia Federal. 

O autor do relatório que pediu o arquivamento do impeachment, deputado Francisco Gomes (PSC), também defendeu o governo e decidiu atacar a médica Patricia Sicchar, uma das autoras do pedido de impeachment. Em seu pronunciamento, o parlamentar  decidiu atacar a cidadania peruana da médica dizendo que ela não poderia querer interferir nos rumos do poder estadual sendo uma estrangeira.  

A médica Patrícia Sicchar é secretária-geral do Sindicato dos Médicos do Amazonas (Simeam). O Simeam já havia se pronunciado sobre nacionalidade da profissional, afirmando que ela possui nacionalidade brasileira e cidadania peruana. 

O deputado Wilker Barreto (Podemos) defendeu a médica dos ataques do deputado Gomes. Wilker pediu respeito à profissional e criticou o parecer da comissão afirmando que arquivar o pedido de impeachment é desrespeitar o sofrimento da população amazonense que sofreu com a pandemia da Covid-19.