Uma campanha de promessas fora da realidade

Por Raimundo Holanda

11/10/2020 4h53 — em Bastidores da Política

Manaus está num crescimento horizontal continuado. A medida que a cidade se expande sem nenhum controle, cresce a demanda por transporte, infraestrutura, água, esgoto  e energia.   Não tem como atender o que não foi planejado e o caos urbano gera doença, pobreza, desemprego.  

Em tempos de eleição , essas áreas ocupadas, degradadas  e que puxam a expansão da cidade,  são alvos da "atenção" dos candidatos, que fazem promessas sem conhecer o orçamento previsto para o ano seguinte e a impossibilidade de cumpri-las.  

Fora da realidade os candidatos  vivem  uma  fantasia que cessa à medida  que ganham a eleição e sentam na cadeira de prefeito.Neste momento a periferia é esquecida, as promessas são negadas e quem votou acreditando em uma moradia com dignidade recebe a ;polícia com ordem de  despejo. Foi assim, na invasão  Monte Horebe, foi assim em diversas invasões em Manaus,

A contrapartida ao voto,  que viria em forma de benefícios sociais, foi a mão pesada do Estado  ou do Município.

MAIS UMA JOGADA ELEITORAL

 Uma notícia crime apresentada contra a Amazonas Energia, junto ao MP-AM, traz à baila a discussão a respeito de decisões judiciais e suas abrangências. A queixa é contra o corte de energia por atraso no pagamento, neste período de pandemia, suspenso pela Justiça.

A concessionária alega que a decisão “não acoberta” furtos ocasionados pelos “gatos", nem as ligações à revelia ou clandestinas. A queixa apela no viés político, pedindo a prisão dos sócios da empresa.

Jogada eleitoral.