Bastidores da Política - 'Sessão animal' desperta 'instinto primitivo' de parlamentares no Amazonas


'Sessão animal' desperta 'instinto primitivo' de parlamentares no Amazonas

Por RAIMUNDO DE HOLANDA

25/02/2021 19h41 — em Bastidores da Política

Uma "sessão animal" marcou os trabalhos da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas nesta quinta-feira. A entrada em pauta de um projeto que cria o "Dia do Animal sem Raça", dividiu  parlamentares e revelou preferências. O deputado Belarmino Lins lembrou do “gado selvagem” e das ovelhas, contrariando a preferência de Joana Darc e Saulo Ramos, autores do projeto, pelos vira-latas, cães  de linhagem impura”ou não pura”.

O tema  serviu para atiçar o ânimo dos parlamentares, ainda confinados, mas dispostos a gastar o verbo com um assunto inútil ou pouco produtivo.

Foi retirado de pauta em um  momento de lucidez. Que não volte tão cedo…

@@@

O  registro de enterros de pessoas vítimas de Covid 19 é o melhor indicador do avanço da pandemia em Manaus e não bate  com os números apresentados pela Fundação de Vigilância Sanitária. Quem morre por Covid é enterrado no mesmo dia, cinco ou seis horas depois do óbito. Já a FVS aponta, por exemplo que 30 pessoas morreram em todo o Estado do Amazonas no dia 24 em razão da Covid. E indica outros 56 óbitos que ocorreram em dias anteriores, mas somente agora divulgados. Quer dizer, não bate com os registros de enterros em Manaus. E os sepultamentos realizados em cemitérios do interior do Amazonas?

Alguém precisa explicar por que tantas mortes divulgadas diariamente como registradas em dias anteriores e se aconteceram em casa ou nos hospitais? Se em casa, que cuidados, atenção e iniciativas de biossegurança foram utilizados para proteger as famílias  que conviveram com esses enfermos? Se nada foi feito, explica por si só o crescimento da pandemia e revela descaso e omissão criminosos.

Raimundo de Holanda é jornalista de Manaus. Passou pelo "O Jornal", "Jornal do Commercio", "A Notícia", "O Estado do Amazonas" e outros veículos de comunicação do Amazonas. Foi correspondente substituto do "Jornal do Brasil" em meados dos anos 80. Atualmente escreve a coluna Bastidores no Portal que leva seu nome.