Bastidores da Política - O protagonismo do Legislativo e o desastre do governo Wilson Lima


O protagonismo do Legislativo e o desastre do governo Wilson Lima

Por RAIMUNDO DE HOLANDA

11/12/2020 20h20 — em Bastidores da Política

  • O governador do Amazonas, Wilson Lima, fez uma aposta errada na caneta e percebeu, tarde demais, que ela falhava.

O Poder Legislativo assumiu protagonismo inédito nas últimas semanas, com os parlamentares do Amazonas estabelecendo uma agenda contrária aos interesses do governador Wilson Lima.

O que fica dessa desastrosa relação do governador  com sua base é a nítida  incapacidade de dialogar e compreender o momento politico, a influência da opinião pública e as repercussões dos escândalos dos quais foi protagonista.  

Wilson fez uma aposta errada na caneta e percebeu, tarde demais, que ela falhava.

Mas pior do que os erros que provocaram a cisão da base parlamentar na Aleam, é o que o governo faz agora, expondo  suas entranhas, ao  insinuar, por via indireta (publicações  em redes sociais e blogs)  pecados de ex-aliados. Pecados que, se existiram, foram fomentados pelo governo. Quer dizer, se existe corrupto do lado de  lá, há corruptor do lado de cá.

NOVOS TEMPOS

Quem não compreender que os tempos são outros e que o Legislativo deixou de ser um apêndice do Palácio do governo enfrentará dificuldade para governar.

Isso também se aplica ao prefeito eleito. A Câmara de Vereadores de Manaus será o pêndulo da nova administração e as relações devem ser republicanas. Ou David Almeida terá pela frente grandes  dificuldades para implementar seu plano de governo. 

AS TRÊS FACES DE WILSON

O garoto da TV que  resolvia todas as broncas conquistou o eleitorado do Amazonas em 2018. O homem que trocou os dentes e engordou com as benesses que o poder oferece, parecia refém de grupos de interesse. Parecia. Viajava, curtia a vida por aí. Agora entra em cena um senhor de meia idade, com barba e bigode. Faz cara de mau, mas a cada dia seus atos mutilam o governo e jogam uma nuvem de incerteza sobre o futuro do Estado.

A notícia para os que querem mudança  não é boa. Não há muito o que fazer.

As coisas vão ficar como estão até o término  do recesso do Judiciário. Ou talvez para janeiro de 2022. Paciência...

Raimundo de Holanda é jornalista de Manaus. Passou pelo "O Jornal", "Jornal do Commercio", "A Notícia", "O Estado do Amazonas" e outros veículos de comunicação do Amazonas. Foi correspondente substituto do "Jornal do Brasil" em meados dos anos 80. Atualmente escreve a coluna Bastidores no Portal que leva seu nome.