Bastidores da Política - Nem Bolsonaro acreditou na pesquisa  DataFolha


Nem Bolsonaro acreditou na pesquisa DataFolha

Por Raimundo Holanda

14/08/2020 19h58 — em Bastidores da Política

Nem Bolsonaro acreditou na pesquisa DataFolha,  publicada pelo Jornal Folha de São Paulo nesta sexta-feira. O presidente usou sua rede social para colocar uma interrogação: “Verdade, meia verdade ou fake news?"  Provavelmente, meia verdade. A Pesquisa mostra uma subida  na popularidade do presidente.

Desde que Hélio Schwartsman, articulista do jornal, publicou artigo no qual  disse que desejava  que o presidente morresse de Covld, que o jornal,  considerado um dos  mais sérios do Pais,  saiu dos eixos. Apressou-se em dizer que era uma opinião  pessoal do articulista, não da empresa, mas criou uma campanha para que todos se vestissem de verde e amarelo em defesa   da democracia, além de produzir editoriais defendendo  o impeachment do presidente. Ninguém deu bola. Nem a população  brasileira, nem o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia,  que tem pedidos de afastamento de Bolsonaro engavetados.

E por que a pesquisa DataFolha preferiu usar o telefone para falar com 2 mil brasileiros ? Porque é o meio mais fácil, mais barato e talvez menos claro de buscar essa meia verdade da qual Bolsonaro fala. E por que ? Por que a suposta popularidade do presidente estaria ancorada no  vale-pandemia, que não chegou  ao público que tem telefone   pôs pago, no caso de celular com banda suficiente para o eleitor  falar com um entrevistador do DataFolha  durante 20 minutos.

Pesquisas são consideradas sérias, especialmente do  DataFolha. Mas também erram.

Bolsonaro teve o ego massageado pela Folha, mas o homem é desconfiado. E, neste caso,  tem que ficar mesmo…