Siga o Portal do Holanda
Garotos de aluguel nas eleições deste ano no Amazonas MANAUS

Garotos de aluguel nas eleições deste ano no Amazonas

Publicado

em

Quando Zé Ramalho compôs "Garoto de Aluguel" em 1979 não quis fazer alusão a política, mas fez. Embora aqueles tempos fossem diferentes, havia alguma dignidade nos governantes. No Amazonas, o poder estava nas mãos de  Enoque Reis  e o Brasil tinha como presidente João Figueiredo. Ambos fortes, respeitados. Quarenta anos depois, a história é outra. E "Garoto de Aluguel" se encaixa nos acordos feitos nos porões do poder político, da forma como o sexo sem compromisso exige que eles ou elas não falem de quem os banca. Negam, sem nenhum pudor, que tenham qualquer relação com a cafetina que privatiza o dinheiro da sociedade em um projeto de poder, ou de garantias de que ninguém o enxote de lá.

Neste caso, vale a estrofe marcante dessa composição:

"Baby!

Dê-me seu dinheiro que eu quero viver

Dê-me seu relógio que eu quero saber

Quanto tempo falta para lhe esquecer”.

O SOCORRO DE BRASÍLIA

Para quem gosta de buscar nas composições dos poetas relação com o caso presente, é só lembrar as idas e vindas do “menino” a Brasilia, vinculando decisões de governo a ilusão de uma paz impossível, da eliminação de um perigo real, que nenhum homem, por mais poderoso que seja, pode deter sem contrariar princípios como legalidade e impessoalidade. A muitos homens de poder, esses princípios são caros.

Vale aqui, uma distração. A promessa que Odair José faz a um amor eventual. A letra foi composta em 1972, quando o presidente do Brasil era o temível Emilio Garrastazu Médici. e o Amazonas governado por João Walter de Andrade, respeitado, estudioso, ético. Mas os tempos eram outros.

E Como Zé Ramalho em seu “Garoto de Aluguel”, Odair não tinha intenção nenhuma de que suas letras tivessem cunho politico, mas quão adequada é “Vou tirar você desse lugar” ou dessa dificuldade, para os dias atuais ...

"Olha, a primeira vez que eu estive aqui

Foi só pra me distrair

Eu vim em busca do amor

Olha, foi então que eu lhe conheci

Naquela noite fria, em seus braços

Meus problemas esqueci

Olha, a segunda vez que eu estive aqui

Já não foi pra distrair

Eu senti saudades de você

Olha, eu precisei do seu carinho

Pois eu me sentia tão sozinho

E já não podia mais lhe esquecer

…………………………………………………

Eu sei que você tem medo de não dar certo

Pensa que o passado vai estar sempre perto

E que um dia eu posso me arrepender..."


+ BASTIDORES DA POLÍTICA

Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do Portal do Holanda estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral.

Copyright © 2006-2020 Portal do Holanda.