Vídeo que mostra assédio nas ruas de Nova York viraliza

Por Portal do Holanda

29/10/2014 16h39 — em Mundo

Nova York (AFP) - Um vídeo que mostra uma mulher sendo abordada por homens em ruas de Nova York se espalhou pela internet, trazendo de volta o debate sobre o assédio sofrido por mulheres e grupos minoritários.

A gravação de dois minutos mostra a atriz Shoshana B. Roberts andando de calça jeans e camisa por Manhattan enquanto uma série de homens a importunam com frases como "ei, linda" e "ei, baby".

Quando a atriz não se manifestava, era repreendida por ser rude e ouvia comentários para que sorrisse ou de que deveria agradecer pelo elogio.

Chamado "10 Hours of Walking in NYC as a Woman" (em inglês, dez horas andando por NYC como uma mulher), em certo momento o vídeo mostra Roberts nitidamente amedrontada com um homem andando junto a ela em silêncio pela calçada por 5 minutos.

O vídeo foi assistido mais de 1,2 milhão de vezes no Youtube desde a sua postagem na terça-feira.

Produzido para a organização sem fins lucrativos "Hollaback!", dedicada a combater o assédio nas ruas, são contados mais de 100 casos de assédio verbal em dez horas, segundo os organizadores.

A atriz também sofreu inúmeras abordagens como piscadelas e assobios.

O movimento afirma que mulheres, pessoas negras, homossexuais e transgêneros são, em particular, suscetíveis ao assédio nas ruas, o que deixa as vítimas vulneráveis a ataques.

Rob Bliss realizou a filmagem com uma câmera escondida em sua mochila enquanto caminhava na frente de Roberts. Ele disse à AFP que tinha a intenção de mostrar aos homens como é realmente o assédio nas ruas em plena luz do dia e como as pessoas se sentem.

"Você pode rapidamente se sentir como um objeto e é horrível", disse.

"Eu queria dar um pouco de apoio às mulheres e falar sobre suas experiências pessoais. Na maioria das vezes, elas não podem fugir dessas situações", acrescentou.

Roberts disse que essa é uma realidade diária para ela.

"Sou assediada quando sorrio e quando não sorrio. Sou assediada por homens brancos, negros e latinos" disse.